Acidente dificulta acesso à Via Lagos, principal ligação do Rio com a Região dos Lagos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de dezembro de 2012 as 13:35, por: cdb
Atualizado em 14/11/16 21:37
Um acidente ocorrido nas primeiras neste domingo provocou um congestionamento de pouco mais de 10 quilômetros dificultando o acesso à Via Lagos
Um acidente ocorrido nas primeiras neste domingo provocou um congestionamento de pouco mais de 10 quilômetros dificultando o acesso à Via Lagos

Um acidente ocorrido neste domingo provocou um congestionamento de pouco mais de 10 quilômetros dificultando o acesso à Via Lagos,  principal via de acesso à Região dos Lagos,  para os motoristas que trafegavam pela BR -101, sentido Norte, em direção aos municípios de Campos e Macaé, no Norte Fluminense. Não houve registro de vítimas graves.

Milhares de veículos deixaram a capital do Estado, principalmente em direção ás cidades das regiões dos Lagos e Serrana.  Os motoristas encontraram trânsito intenso nas principais rodoviais federais e estaduais, mas com poucos pontos de retenção.

Na Via Dutra, houve congestionamento na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, tanto para quem vai em direção a São Paulo como para quem chega ao Rio de Janeiro. Há obras de duplicação da rodovia. As concessionárias que administram as principais vias de acesso ao Rio prepararam esquemas especiais para os motoristas que chegam ou deixam a cidade para os festejos de final de ano.

Entre os dias 21 e 25 de dezembro cerca de 360 mil veículos passaram pela Ponte Rio-Niterói. Somente no dia 21, primeiro dia da Operação Fim de Ano da Polícia Rodoviária Federal (PRF), cerca de 95 mil veículos passando pela via. A operação vai até 2 de fevereiro. Nesse período a PRF reforçará a fiscalização para reprimir motoristas que dirigem sob efeito de álcool, com excesso de velocidade e fazem  ultrapassagens em locais proibidos.

Com os deslocamentos rodoviários durante as festas de fim de ano, aumenta o risco e os números de acidentes de trânsito nas rodovias. Aliadas ao maior número de veículos trafegando, a imprudência, a negligência e a imperícia de alguns motoristas resultam em acidentes graves como colisões frontais, saídas de pista e atropelamentos.

No período de festas do ano passado, de 16 de dezembro  a 2 de janeiro de 2012, 40 mil motoristas foram autuados por ultrapassagens proibidas, 128 mil por excesso de velocidade, 12 mil pessoas flagradas dirigindo sem ter carteira de habilitação e mais de 3.500 motoristas embriagados foram autuados e impedidos de seguir viagem.

No mesmo período, a PRF atendeu a 11 mil acidentes que feriram mais de 6 mil pessoas e resultaram na morte de 478. Em colisões frontais, que geralmente são resultado de ultrapassagens mal sucedidas, foram registradas 174 mortes, 36% do total. O segundo lugar em mortes foi ocupado pelo atropelamento de pedestres.

As rodovias federais cortam um grande número de municípios, dos mais diversos portes, e o desrespeito à sinalização, aos limites de velocidade e a desatenção de pedestres, contribuíram para que 84 pessoas morressem atropeladas.