Ação da polícia em morros do Rio prende 30 suspeitos e deixa um morto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de outubro de 2002 as 01:05, por: cdb

Um suposto traficante morreu, quatro pessoas ficaram feridas e cerca de 30 suspeitos foram presos durante uma operação realizada hoje por cerca de 300 policiais civis nos morros do Dendê e do Querosene, na Ilha do Governador (zona norte do Rio).

O Dendê é comandado pela facção criminosa TC (Terceiro Comando), cujo líder é Paulo César Silva dos Santos, o Linho. Segundo levantamento da DRE (Delegacia de Repressão a Entorpecentes), a favela é o terceiro ponto que mais vende drogas no Rio, ficando atrás da Rocinha (zona sul) e do complexo da Maré (zona norte).

Foi a primeira grande operação policial desde a prisão de Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, em 19 de setembro. Os moldes foram os mesmos: os policiais eram todos de delegacias especializadas, levaram mandados de prisão (12) e revistaram casas suspeitas.

Cerca de 50 PMs ocuparam os principais acessos aos morros, a fim de impedir que o comércio fechasse em função da morte de um suposto traficante.

Segundo o coordenador das delegacias especializadas, delegado Fernando Moraes, a 37ª DP (Delegacia de Polícia) fez um mapeamento da quadrilha de Waldeci de Oliveira, o Noquinha, que seria o gerente-geral do tráfico no Dendê e no Querosene.

“A partir daí conseguimos os mandados de prisão e montamos a operação”, disse Moraes.

A ação durou das 9h às 17h e contou com o apoio de um helicóptero da Polícia Civil e do dirigível à serviço da Secretaria de Segurança.

Em função das diversas trocas de tiros, as escolas municipais Holanda e Alício Tibiriçá não tiveram aulas à tarde, segundo a Secretaria Municipal de Educação.

A 37ª DP informou que a quadrilha do Dendê é formada por 150 homens, tem dez pontos-de-venda de drogas e fatura cerca de R$ 1 milhão por mês.

Acusado pela polícia de atuar no tráfico, Carlos Alberto Januário Pedro, 38, o Gordo, foi morto pela polícia. Ele portava documentos em nome de Elias Cunha Sobrinho.

Segundo o delegado-titular da Delegacia de Homicídios, Paulo Passos, Gordo estava em uma Kombi com dez cúmplices armados com fuzis, pistolas e granadas. Houve uma troca de tiros com policiais, segundo Passos. Gordo foi atingido. Os demais fugiram.

O delegado afirmou que, na hierarquia do Dendê, Gordo só ficava abaixo de Noquinha. Segundo Passos, Noquinha teria ficado ferido em uma troca de tiros, mas conseguiu fugir.

O delegado disse que momentos depois houve outra troca de tiros com dois homens que estavam dentro de um carro. Marco Antônio do Livramento, 20, o Quito, foi atingido na perna. Ele estava acompanhado de um rapaz de 17 anos. Os dois foram presos.

Dois detetives da polícia, cujos nomes não foram divulgados, levaram tiros de raspão. Jeferson, 6, foi atingido por estilhaços de bala. Todos passam bem, segundo a polícia.

O suposto traficante Marcelo Silva Figueiredo, o Chorrão, foi preso no fim da tarde.