Abbas pede reconhecimento do Estado palestino

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 24 de setembro de 2011 as 06:26, por: cdb

O gesto já faz parte da história. Mahmoud Abbas presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu nesta 6ª. feira, formalmente, às Nações Unidas que reconheçam de forma plena o Estado palestino. Ovacionado ao subir ao púlpito na Assembleia Geral, Abbas ressaltou os problemas palestinos, a intensificação das “ocupações” e condenou a “política colonialista de Israel”. Foi aplaudido de pé várias vezes durante seu discurso.

“Chegou o momento de nossos homens, mulheres e crianças voltarem à vida normal. De estudantes irem às escolas e às universidades sem serem parados em postos de controle”, afirmou. Para Abbas, o momento da Primavera Palestina finalmente chegou.

Ciente da repercussão do gesto da Autoridade Palestina, o Quarteto de mediadores do Oriente Médio – formado por ONU, União Europeia, Estados Unidos e Rússia – propôs que palestinos e israelenses se encontrem em um mês para finalizar uma agenda. E pediu três meses para que cheguem a um consenso sobre a divisão de territórios e a segurança da região. As nações mediadoras sugeriram, ainda, que as duas partes façam um avanço significativo num período de seis meses para que alcancem um acordo de paz antes do fim de 2012.

Brasil vigilante

O Brasil quer acompanhar de perto as negociações. “O Brasil vai manter vigilância sobre os próximos passos que o Quarteto esteja definindo. O Quarteto pode ter até papel de liderança, mas é necessário que um grupo de atores acompanhem de perto. Esse tipo de vigilância é fundamental para que isso avance”, resumiu o chanceler brasileiro, Antonio Patriota.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, não perdeu tempo. Entregou o pedido palestino para os representantes do Conselho de Segurança da organização. Já na segunda-feira seus 15 membros se reunirão para avaliar a questão, informou seu presidente, o embaixador do Líbano na ONU, Nawaf Salam. Os 15 representantes do CS já receberam o pedido dos palestinos.

Agora é aguardar a reunião do Conselho de Segurança dar o seu parecer sobre a reivindicação Palestina. Mas vale frisar a posição da nossa presidência, saudando a intenção dos palestinos de ter seu Estado reconhecido pela ONU. A fala de Dilma Rousseff na abertura dos trabalhos este ano ficou para a história das sessões das Nações Unidas, da mesma foram como aconteceu com o apoio do povo brasileiro à criação do Estado de Israel, 64 anos atrás.