Abalo de 3,8 graus na escala Richter atinge Mato Grosso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de maio de 2003 as 09:50, por: cdb

Um tremor de terra de 3,8 graus na escala Richter registrado na região sul de Mato Grosso foi confirmado nesta segunda-feira pelo Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB).

O epicentro do tremor foi a cidade de Rondonópolis (200 quilômetros de Cuiabá), onde o abalo foi sentido por volta de 11h45 pela população. Apesar do susto, não houve pânico ou danos materiais. Segundo informou o observatório, trata-se do maior tremor de terra detectado no país em 2003.

– Em termos globais, foi um sismo pequeno. Mas, no Brasil, um evento nestas proporções é pouco usual – afirmou o professor Vasile Marza, do Departamento de Sismologia da UnB.

A região atingida é propícia à ocorrência de pequenos abalos. Segundo Marza, dados históricos apontam a ocorrência de eventos semelhantes em 1941 (magnitude 4,4), 1981 (3,2) e 2000 (3,4). – Quase todo o Mato Grosso é uma região sísmica – ressaltou Marza.

Em 1955, na região Norte do Estado, onde hoje está localizada a cidade de Porto dos Gaúchos, aconteceu o maior tremor já registrado no país, de 6,5 graus.

Segundo Marza, embora o Brasil esteja no interior de uma placa tectônica e, portanto, menos vulnerável, a ocorrência do fenômeno não pode ser descartada.

– A placa não é uniforme, mesmo em seu interior. Há falhas e acidentes geológicos por toda parte, fontes potenciais de sismos de menor intensidade – afirmou.

O professor estima em duas semanas o prazo para um laudo detalhado sobre o tremor. Além dos resultados dos sensores do observatório em Brasília (a 720 quilômetros do epicentro) aguarda-se a chegada dos registros feitos por um sismógrafo localizado nas imediações.

Marza não descartou a possibilidade de novos tremores serem sentidos na região.

– Depois de um sismo desta magnitude, é natural que novos tremores ocorram.