AAA 25 de Agosto de 2011 – 13h44 Campanha Palestina Já! inaugura comitê de apoio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 25 de agosto de 2011 as 11:33, por: cdb

Está marcado para segunda-feira, dia 29, a partir das 17h, o lançamento público do Comitê pelo Estado da Palestina Já! O comitê irá centralizar todas as ações no país em torno das mobilizações para que a Palestina seja reconhecida pela 66ª seção da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece a partir do dia 13 de setembro, em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Deborah Moreira, da redação

Cartaz Palestina Já! / Arte: Andocides Bezerra


As votações começam no dia 21 de setembro. Um dia antes (20), em São Paulo, Brasil, acontecerá um Ato Público e Caminhada Pelo Estado da Palestina Já!, com concentração a partir das 17h, na Praça Ramos, centro. Já o lançamento do comitê será no Sindicato dos Engenheiros (Rua Genebra, nº 25, Centro). Na ocasião, haverá uma entrevista coletiva para a imprensa, com a presença de parlamentares, presidentes de entidades de massa, centrais sindicais e partidos políticos que apoiam a causa. Nesse dia também será lançado o vídeo institucional da campanha.

“A criação do comitê corresponde ao espírito de amizade e solidariedade dos brasileiros para o povo palestino. A questão da palestina é de justiça, humanidade e de obediência, inclusive, às determinações da própria ONU, de 1947, que na partilha do território determinou a criação de dois estados”, declara Socorro Gomes, presidente do Centro Brasileiro de Solidariedade e Luta pela Paz (Cebrapaz) , que estará presente no dia.

Assembleia Geral

Por tradição, de sempre um brasileiro abrir os trabalhos, a 66ª seção da Assembleia Geral será instalada pela presidente Dilma Roussef. Durante o evento, a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) pedirá que as Nações Unidas reconheçam o seu Estado Nacional, com as fronteiras de 1967.

A expectativa é que essa petição seja aprovada e o Estado da Palestina venha a ser o 194º Estado Membro da comunidade das Nações. Isso porque mais de 140 países declararam abertamente que votarão com os palestinos, quando são precisos apenas 128 votos.

No entanto, entidades envolvidas alertam sobre a presença dos sionistas e o imperialismo norte-americano, encabeçado por Barak Obama, que apostarão tudo para barrar a aprovação.