A Família da Noiva faz comédia com questões raciais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 25 de abril de 2005 as 18:54, por: cdb

A comédia “A Família da Noiva”, estréia da quinta-feira, remete pouco ao seu filme original, “Adivinhe Quem Vem Para o Jantar”, de 1967, e muito ao recente “Entrando Numa Fria”.

Mas, ao mesmo tempo, o filme possui um elenco bem escolhido e consegue tratar de questões raciais ainda pertinentes, sem o tom de pregação moral que tornou datado o comentário social de “Adivinhe Quem Vem Para o Jantar”, de Stanley Kramer e com Spencer Tracy e Katharine Hepburn no elenco.

Com as performances inspiradas de Bernie Mac e Ashton Kutcher, o resultado é um trabalho que tem a garantia de fazer o público rir e cujo conteúdo é bem mais substancial do que o último filme sobre o encontro da família Focker, de “Entrando Numa Fria”.

Bernie Mac faz o papel que foi de Spencer Tracy em “Adivinhe….” Ele é Percy Jones, gerente de banco e pai de família orgulhoso que está prestes a comemorar suas bodas de prata com Marilyn (Judith Scott) com uma grande festa ao ar livre na residência da família, em Cranford, Nova Jersey.

A filha do casal, Theresa (Zoe Saldana), chega para a festa acompanhada de seu namorado, que seus pais ainda não conhecem e que Percy visualiza como alguém com o visual de um Denzel Washington, a inteligência de um Colin Powell e a garra competitiva de um Tiger Woods.

Em lugar disso, quem chega é Simon Green (Ashton Kutcher, do seriado “That 70’s Show”).

Desnecessário dizer que Simon não faz sucesso instantâneo com o superprotetor Percy Jones. E as coisas vão de mal a pior quando vem à tona a verdade sobre o fato de Simon estar desempregado, o que cria um certo obstáculo aos planos do jovem casal de anunciar seu noivado.

A chave do sucesso de “A Família da Noiva” está na química de confronto entre Bernie Mac e Ashton Kutcher e o fato de ambos estarem em plena forma como atores.

Enquanto isso, Zoe Saldana, no papel da muito pé no chão namorada de Simon, e Judith Scott, como a tolerante — até certo ponto — mulher de Percy, oferecem um apóio mais do que competente.

Também divertem o espectador o veterano Hal Williams, no papel do pai de Percy, e Kellee Stewart, como a filha mais nova deste.

O filme também é o melhor até agora do diretor Kevin Rodney Sullivan, que, depois de “Barbershop 2 — Barbeiragem Total” e “A Nova Paixão de Stella”, já demonstrou que sabe o que faz quando o assunto é misturar comédia com elementos de significado social maior.