“A China é estratégica para o Brasil”, diz Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de fevereiro de 2003 as 22:43, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que a China é um parceiro estratégico do Brasil nas áreas comercial, de ciência e tecnologia e de cultura. Ao participar da abertura da exposição Os guerreiros de Xi´an e os tesouros da Cidade Proibida, o presidente afirmou que a relação entre os dois países, que, no ano que vem, completa 30 anos, começou tarde.

“Possivelmente, o Brasil e a China tenham se descoberto tardiamente. Perdemos muito tempo. Mas sempre é tempo de começar algo novo”, comentou.

Lula lembrou o que Napoleão Bonaparte disse sobre a China: “Napoleão disse que a China era um gigante adormecido e que, no dia em que acordasse, poderia fazer o mundo tremer”.

O presidente disse que, há dois anos, a convite do governo chinês, fez uma visita de 13 dias àquele país e que, na ocasião, conheceu “ao vivo e em cores” Xi’an e os tesouros da Cidade Proibida. E também Xangai e Pequim. “Agora os brasileiros terão a experiência de participar de uma aventura excepcional e de embarcar na cultura chinesa”, afirmou. Para Lula, o Brasil, que tem apenas 500 anos, tem que ter a “humildade de aprender com um país milenar”.

Para o presidente, quem for à exposição não a esquecerá. Lula disse esperar que essa proximidade cultural entre as duas nações possa transformar a relação entre os dois países em algo mais importante do que é hoje. “Quem sabe este século poderá ser o século do Brasil e da China?”, disse.

Ele também comentou que seria interessante se todos os administradores brasileiros pudessem conhecer pelo menos Xangai, para, desta maneira, segundo ele, conhecer de perto o desenvolvimento chinês.

Lula fez um discurso de improviso, deixando de lado o discurso que havia sido elaborado para que ele fizesse na noite desta quinta. Ele justificou o improviso, dizendo que não queria que os presentes à abertura do evento ficassem muito tempo parados de pé, ouvindo-o.

Participaram da inauguração o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy. Alckmin fez uma saudação “afetiva” à primeira visita oficial de Lula a São Paulo. “Esta é a primeira visita oficial ao nosso Estado, ao seu Estado, presidente, e queremos mostrar a disposição de São Paulo de ser parceiro do governo federal”, afirmou o governador.

Marta disse que o Brasil é o maior parceiro comercial da China na América Latina “Temos muito a aprender com a China nas áreas de ciência, turismo, saúde, construção civil e na tentativa de São Paulo de sediar os jogos olímpicos”, afirmou.

Na abertura da exposição, o presidente da Brasilconnects, Edemar Cid Ferreira, disse que esta é a primeira vez que o tesouro da Cidade Proibida sai da China. Comentou que, em abril, empresários brasileiros vão à China e, em maio, chineses estarão no Brasil, para aumentar o intercâmbio entre os dois países.