8.000 hectares de coca serão erradicados pelo governo peruano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de abril de 2003 as 17:15, por: cdb

O presidente do Conselho de Ministros do Peru, Luis Solari, assegurou nesta quinta-feira, que o Governo tem como meta para o ano de 2003 a erradicação de 8.000 hectares de cultivos de coca, das 36.000 ilegais que existem atualmente no país.

– A destruição destes cultivos será realizada por meio da interdição da cadeia produtiva da cocaína e da execução de programas de desenvolvimento integral nas áreas onde se planta coca -, explicou Solari em entrevista coletiva a jornalistas estrangeiros.

O primeiro-ministro assegurou que ficou demonstrado que é preciso ter uma “estratégia conjunta”, que associe o desenvolvimento econômico das zonas cocaleras (produtoras de coca) e a luta contra o tráfico ilícito de drogas, através da destruição das instalações de maceração e da vigilância aérea.

Segundo Solari, “se esta estratégia não implementada, aumenta o preço da folha de coca e, em conseqüência, o número de cultivos ilegais”.

O primeiro-ministro do Conselho de Ministros lembrou que entre 1996 e 1997, devido ao baixo custo da folha de coca (menos de um dólar o quilo), foram abandonadas pelos próprios camponeses um total de 20.000 hectares de plantações.

Solari também explicou que o Decreto Supremo assinado na última quarta-feira (23) pelo presidente peruano, Alejandro Toledo, no qual ele se compromete efetuar uma redução gradual e organizada dos cultivos de coca, “obriga o Governo e os camponeses cocaleros a trabalharem conjuntamente para este objetivo”.

O decreto foi assinado depois que uma delegação de produtores de coca peruanos se reuniu com o presidente no Palácio do Governo para expor seus problemas e expressar sua oposição à erradicação forçada dos cultivos de coca, matéria-prima da cocaína.

Os dados oficiais indicam que atualmente existem 36.000 hectares de plantações ilegais de coca no Peru, onde a lei só permite o cultivo máximo de 12.000 hectares, para o consumo tradicional andino, onde a planta é mastigada e usada no preparo de chás.

Durante o ano de 2002, foram destruídos 7.130 hectares de plantações em todo o país, enquanto em 2001 foram erradicados 6.436 hectares de cultivos.

Segundo dados da Empresa Nacional da Coca (Enaco) do Peru, existem aproximadamente 60.000 hectares de plantações de coca no país e, das 30.000 toneladas produzidas, apenas 3.000 abastecem o mercado tradicional de consumidores.