39% das vítimas fatais no trânsito no ES ingeriram álcool, diz pesquisa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 25 de setembro de 2009 as 11:21, por: cdb

Um estudo desenvolvido pelos peritos bioquímicos-toxicologistas do Departamento Médico Legal (DML), da Polícia Civil do Espírito Santo, aponta um dado preocupante em relação às vítimas fatais de acidentes de trânsito. A partir de dados coletados durante 18 meses no Serviço de Laboratório Médico Legal do DML, os especialistas constataram que 39% das pessoas que morreram nas ruas e estradas capixabas tinham álcool no sangue e, destes, 95,6% eram homens.

As informações foram apresentadas à imprensa na manhã desta sexta-feira, na Chefatura de Polícia Civil, em Vitória. Na pesquisa “Estudo do perfil das vítimas fatais de acidentes de trânsito no Estado do Espírito Santo e sua relação com a presença de álcool”, os peritos analisaram amostras de sangue de vítimas fatais em qualquer acidente de trânsito e nos quais os corpos foram encaminhados ao DML.

Os especialistas realizaram as análises quantitativas de álcool e coletaram informações de 943 pessoas, com idade acima de 16 anos, durante janeiro de 2008 e junho deste ano. Desse número, 86,5% eram homens e cerca de 36% tinham idade entre 21 a 30 anos. As informações foram relacionadas a acidentes que envolveram qualquer veículo – carro, caminhão, ônibus, motocicletas e atropelamentos.

De acordo com a pesquisa, 51% dos acidentes com mortes foram provocados por veículos automotores; 25% por motocicletas e 24% por atropelamentos. Das amostras coletadas nas 943 vítimas, 371 apresentaram resultado positivo para álcool no sangue, o que representa 39% dos casos.

O estudo teve como objetivo avaliar a evolução das ocorrências de mortes provocadas no trânsito e o número de resultados positivos para álcool no sangue, correlacionar o efeito da implementação da Lei de “Tolerância Zero”, além de traçar um perfil das vítimas fatais de acidentes no Espírito Santo.

O estudo também apontou que, das vítimas que tinham álcool no sangue, aproximadamente 98% apresentaram uma taxa muito acima do que é permitido pela legislação.

Entre os casos analisados pelos peritos do DML, o maior número de acidentes com vítimas fatais foi registrado no interior do Estado, com 62,5%. A Região Metropolitana, composta pelos municípios de Vitória, Serra, Vila Velha, Cariacica, Viana, Fundão e Guarapari, representou 37,5% dos casos.

Do total de vítimas fatais do interior do Estado, 43,4% apresentaram resultado positivo para álcool no sangue, enquanto na Região Metropolitana o índice foi de 33%. De acordo com a pesquisa, o município com mais mortes no trânsito na Região Metropolitana foi Serra, com 11,9%. As principais vítimas, pouco mais de 50%, tinham entre 21 a 40 anos.