“Um gesto de amor desesperado”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de dezembro de 2007 as 09:42, por: cdb

A atriz Letícia Sabatella foi visitar Dom Cappio e ver de perto as razões que o levaram a fazer mais uma greve de fome em protesto contra a transposição das águas do São Francisco. E depois de conversar muito com o bispo, passou a fazer parte das manifestações de apoio a sua causa e contra o projeto do governo Lula. Assim como muitas pessoas que apoiaram a candidatura Lula, Letícia também tomou uma posição contrária ao governo e a favor de Cappio. Em uma das suas contribuições para a luta contra a transposição, a atriz fez um vídeo onde se refere a atitude de Dom Cappio como “um gesto de amor desesperado”. E o que Lula quer fazer com o Rio São Francisco, ela chama de absurdo e reconhece ser uma “decisão contestada”. Cappio também sempre apoiou Lula e a maioria das pessoas, movimentos e organizações que se manifestam a seu favor e contra a decisão do governo, sempre estiveram ao lado de Lula, engajados nas lutas históricas do PT. Isto significa que Lula está indo contra ele mesmo, porque está rompendo com quem o fez presidente do Brasil.

A atitude do governo é antidemocrática e autoritária, pois está desrespeitando de tal forma a democracia ao ponto de se dar o luxo de mudar o curso de um rio sem consultar pelo menos os moradores ribeirinhos. Isso não é democracia e deve ser respondida com gestos fortes que fazem a verdade saltar aos olhos. Se o jejum, a “greve de fome” do Frei Cappio é uma atitude extrema e radical, isso mostra a gravidade daquilo que ele contesta. Chegamos ao ponto de se ter que fazer jejum e alguém ter que colocar a própria vida em risco para que o governo ouça as manifestações divergentes aos seus projetos. Que democracia é esta que o governo Lula está praticando? A atitude de Cappio, considerada extrema, mas pacífica e profética, expõe a fragilidade da nossa democracia representativa.

Votar em candidatos e esperar que, quando eleitos, façam valer a vontade do povo, parece não ser o suficiente. É preciso atitudes que vão além do convencional. É preciso fortes gestos de amor que mobilizem, que realmente convoquem a sociedade, a cidadania, para construir a mudança. E este gesto encontramos em Dom Frei Luiz Cappio. O jejum de Frei Luiz é um gesto extraordinário e corajoso. Não está agredindo a ninguém, mas responsabilizando, comprometendo a quem realmente deve ser responsabilizado pela causa que defende. O que vemos em Dom Cappio, é “um gesto de amor desesperado” como fala a atriz Letícia Sabatella. Ele não é um político oportunista, querendo aparecer ou prejudicar um adversário. É um ser humano corajoso, carregado de humanidade em seu coração que compreende seu dever histórico e sente que a vida só tem sentido quando é colocada a serviço, especialmente daqueles que já se calaram de tanta opressão.

Colocar-se ao lado de Dom Cappio, neste momento, é também um gesto corajoso, porque esta postura terá suas conseqüências. Creio que se o Governo Lula deixar Cappio morrer, a sua fome vai ficar aos prantos e gritos, contagiando muitos corações e mentes por este país a fora. Lula, que disse que iria combater a fome, se arrepiará de medo dos famintos por liberdade e justiça. A fome em defesa do São Francisco vai continuar porque o jogo de interesses políticos e econômicos já fizeram muita gente morrer de cede. E em nome da seca do nordeste, muitos poderosos já se fartaram com dinheiro público. E o atual projeto de transposição serve apenas para nutrir o bolso de quem não sente fome nem sede. Mas o projeto é tão bem protegido pela máquina da propaganda enganosa, que somente “um gesto de amor desesperado” poderá vencê-lo.

Frei Pilato Pereira é frade capuchino.