‘Lista espúria’ publicada pelos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 25 de agosto de 2011 as 14:12, por: cdb

Tradução: ADITAL

Declaração do Ministério de Relações Exteriores da República de Cuba

No dia 18 de agosto, o Departamento de Estado incluiu Cuba, por trigésima vez, na espúria lista de “Estados patrocinadores do terrorismo internacional”, com o único propósito de desacreditar nosso país e continuar justificando a política cruel e repudiada de bloqueio contra Cuba.

O governo dos Estados Unidos, que, historicamente, tem praticado o terrorismo de Estado, as execuções extrajudiciais, os sequestros de pessoas, os assassinatos com aviões não tripulados, a tortura e as detenções ilegais; que tem estabelecido cárceres secretas; que é responsável pela morte de centenas de milhares de civis inocentes como resultado de suas guerras de ocupação e conquista no Iraque e no Afeganistão; que bombardeia sistematicamente a Estados soberanos, como a Líbia, não tem a mais mínima moral nem direito algum de julgar Cuba, que tem uma trajetória irrepreensível na luta contra o terrorismo e que tem sido, além disso, sistematicamente vítima desse flagelo.

O governo dos Estados Unidos atua como se não houvesse amparado de maneira permanente ao criminoso confesso Luis Posada Carriles, a quem não quis julgar por cargos de terrorismo, apesar de contar com bastante provas. Posada Carriles, juntamente com Orlando Bosch Ávila, que foi beneficiado por um perdão presidencial de George Bush pai, é autor do horrendo atentado contra um avião civil cubano em pleno voo, que custou a vida de 73 pessoas inocentes. Também é responsável direto pela morte do turista italiano Fabio Di Celmo durante os atentados com bombas em instalações turísticas cubanas, em1997. Hoje, Posada Carriles, passeia livre e impunimente pelas ruas de Miami, após ter sido absolvido em uma farsa judicial, em El Paso, Texas.

Ao mesmo tempo, com prova irrefutável, o governo norte-americano mantém em injusta prisão e castiga aos nossos cinco lutadores antiterroristas, por preservar a vida de cidadãos cubanos, norte-americanos e de outros países.

3.478 cubanos morreram e outros 2.099 ficaram mutilados como resultado de ações terroristas organizadas, financiadas e executadas a partir do território norte-americano, em muitos casos, com a própria cumplicidade do governo dos Estados Unidos.

A manipulação política de um tema tão sensível, como a luta contra o terrorismo, ofende também a memória das vítimas dos criminosos atos de 11 de setembro de 2001, fato que suscitou a solidariedade e o oferecimento de ajuda incondicional de nosso governo e povo.

Cuba exige ao governo dos Estados Unidos que castigue aos verdadeiros terroristas que hoje residem em território norte-americano; liberte aos Cinco Herois e ponha fim à política de bloqueio e hostilidade contra nosso país, que atenta contra os interesses legítimos de ambos os povos.

Outdoor em uma rua de Havana que recorda que Estados
Unidos mantém livre em Miami ao terrorista Luis Posada
Carriles, responsável pela explosão de um avião civil cubano
que custou a vida de 73 pessoas.
Posada Carriles tem um julgamento pendente na Venezuela.

Havana, 19 de agosto de 2011.