Zona Franca de Manaus é modelo de desenvolvimento sustentável, diz Eduardo Braga 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 13:51, por: cdb

Os 45 anos de existência da Zona Franca de Manaus e do Polo Industrial de Manaus foram lembrados em Plenário nesta terça-feira (28) pelo senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Para o senador, a Zona Franca é exemplo de um dos mais bem sucedidos programas de desenvolvimento sustentável do país. Os resultados econômicos da região comprovam, segundo ele, o sucesso do projeto. De janeiro a novembro de 2011 o polo industrial teve faturamento de US$ 38,19 bilhões, o equivalente a R$ 63 bilhões. Um acréscimo de 17,91% em relação ao mesmo período de 2010.

Ainda maior do que a importância econômica é a importância social da Zona Franca de Manaus, na avaliação do senador. Cento e vinte e cinco mil empregos diretos e outros 475 mil empregos indiretos são gerados por ela no Amazonas. Somente o polo eletroeletrônico emprega mais de 50 mil trabalhadores diretamente. Já o polo de duas rodas oferece mais de 21 mil colocações em diversas áreas. Os dois polos juntos respondem por quase 60% dos empregos diretos do estado.

Eduardo Braga destacou que o trabalho realizado na Zona Franca de Manaus foi reconhecido durante a última conferência latino-americana de zonas francas, na Guatemala, com o prêmio Galardão Zona Franca 2011. A premiação leva em conta inovação tecnológica, geração de emprego, estrutura logística entre outros critérios de desenvolvimento das zonas francas.

– O polo industrial de Manaus é, sem dúvida, o modelo de sustentabilidade mais bem sucedido do governo brasileiro. Não é à toa que, além de gerarmos tanto desenvolvimento econômico e social estamos preservando com êxito a mais importante biodiversidade do planeta – elogiou. 

Recuperação de igarapés

Eduardo Braga comemorou também a aprovação pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) nesta terça-feira, o financiamento internacional para continuidade do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim III). O programa se destina a resolver problemas ambientais, urbanísticos e sociais enfrentados por populações residentes nas margens e leito dos igarapés da capital do Amazonas. Segundo o senador, este é o maior programa social e ambiental de recuperação de igarapés no estado. Nesta terceira etapa, serão investidos U$ 400 milhões, sendo U$ 280 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O senador registrou ainda a primeira reunião Subcomissão Temporária sobre a Aviação Civil, no âmbito da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) prevista para esta quarta-feira (29).

Da Redação / Agência Senado