Xangai limita a construção de arranha-céus

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de setembro de 2003 as 04:41, por: cdb

A cidade de Xangai, metrópole financeira por excelência da China, limitará a construção de novos arranha-céus para evitar seu afundamento nas águas do rio Yangtzé, onde submerge até 1,5 centímetro por ano nas zonas mais atingidas, informou, nesta segunda-feira, a imprensa local.

A cidade costeira começou a afundar em 1921 devido à exploração de águas subterrâneas, tendência que a construção de seus prédios altíssimos agravou nos últimos anos à medida que o desenvolvimento econômico alimentou o setor imobiliário, advertem os especialistas.

Com mais de 3.000 prédios de 18 andares ou mais, são planejados ou já estão em construção outros 2.000 imóveis, de acordo com o jornal oficial China Daily.

Xangai afunda uma média de 1 centímetro por ano, sendo a área financeira de Lujiazui, no distrito de Pudong, a mais afetada, com até 1,5 centímetro por ano, por causa de sua grande concentração de arranha-céus.

A nova lei que limitará a construção destes edifícios será publicada este mês pelo Governo.