Wellington Dias: voto em lista representa apoio a projeto para o país 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de março de 2011 as 09:21, por: cdb

Leia mais

Proposta de ‘distritão’ divide opiniões

Eduardo Braga acredita em união do PMDB em torno do ‘distritão’

PSDB ainda se divide entre distrital puro ou misto

‘Distritão’ favorece os mais ricos e as ‘vedetes’ do momento, diz Simon

População entende que os mais votados devem ser eleitos, diz Jucá em defesa do ‘distritão’

Jorge Viana propõe limite para gastos em campanha política

Jorge ‘Querem voltar à época do Império’, diz Valadares ao criticar o ‘distritão’

O senador Wellington Dias (PT-PI) defenderá na Comissão de Reforma Política a posição anunciada pelo PT: manutenção do sistema proporcional, mas com voto em lista partidária ordenada pelos partidos, e o financiamento público de campanha. O senador explica que a defesa dessas posições mostra coerência com princípios advogados pelo Partido dos Trabalhadores.

– Queremos o fortalecimento dos partidos; a democratização do sistema eleitoral, para que todos tenham o direito de se candidatar e defender suas ideias; e a adoção de regras que acabem com a insegurança jurídica na legislação eleitoral brasileira – disse.

No sistema proporcional com voto em lista, observa Wellington, um partido apresenta um conjunto de candidatos e é o somatório de votos no projeto para o país, defendido por esses candidatos, que garante as vagas que a legenda conquista no Parlamento.

Ele critica o voto majoritário para deputados e vereadores por considerar que, nesse sistema, “o partido fica abaixo do indivíduo, o que é contra a democracia”. No entanto, ele admite a discussão de uma regra mista.

– Vamos discutir a possibilidade de parte das vagas serem preenchidas pelo sistema de lista partidária e parte pelos candidatos mais votados – concluiu ele.

Iara Guimarães Altafin / Agência Senado