Viúva de Cobain briga na justiça para ver dólares deixados na herança do Nirvana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de outubro de 2001 as 20:06, por: cdb

Courtney Love encarou outra briga judicial com o Universal Music Group. A cantora não quer que a maior gravadora do mundo coloque no mercado qualquer produto que tenha a ver com a banda Nirvana, de seu marido Kurt Cobain, morto em 1994. Ela também quer que todos os masters das gravações da banda sejam entregues para ela e reclama que a gravadora deve US$ 3,1 milhões em royalties.
A cantora também processou os outros integrantes do Nirvana, Krist Novoselic e David Grohl, por eles terem ameaçado destruir material inédito do grupo e por terem autorizado o lançamento de uma compilação sem o consentimento dela. Love e sua banda, o Hole, processaram no início deste ano a Vivendi Universal, empresa dona do Universal Music Group, que entrou na Justiça porque a banda quebrou seu contrato e não gravou mais nenhum disco.

Love alega que assinou o contrato com a gravadora independente Geffen Records. Quando a empresa foi comprada pela Vivendi Universal, o contrato expirou. Com o Nirvana, ela alega a mesma coisa. A Geffen Records foi comprada pela MCA em 1990, que foi comprada pela Seagram Co. em 1995. Os vários selos foram reunidos logo depois no Universal Music Group.