Violência marca protestos contra o G-8 na Suíça

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 1 de junho de 2003 as 23:24, por: cdb

Manifestantes anarquistas e anti-capitalistas destruíram e saquearam lojas nas luxuosas ruas das cidades suíças de Genebra e Lausanne neste domingo, enquanto os líderes do G8 se reuniam fora de seu alcance, do outro lado do Lago Genebra, na cidade francesa de Evian.

A polícia prendeu centenas de jovens, a maioria em Lausanne. Mas os protestos continuaram durante a tarde em Genebra. Na cidade, sede da Organização Mundial do Comércio e de alguns dos mais ricos bancos privados do mundo, a polícia disparou bombas de gás lacrimogêneo contra grupos que atiravam pedras e garrafas.

O G8 inclui as nações mais industrializadas do Ocidente e a Rússia, mas alguns líderes de países menos desenvolvidos, como China, Índia e Brasil, também foram convidados para o encontro. Os manifestantes anti-G8 dizem que os líderes do Terceiro Mundo sairão da cúpula com nada além de promessas.

A violência eclipsou as passeatas pacíficas entre Genebra e a cidade francesa de Annemasse, o ponto mais próximo a Evian que os manifestantes puderam chegar, onde centenas de pessoas gritavam slogans contra a guerra no Iraque e a pobreza mundial.

A polícia prendeu cerca de 400 pessoas em Lausanne. Um homem ficou seriamente ferido, ao cair de uma ponte sobre a rodovia que os manifestantes tentavam fechar para impedir que representantes dos governos chegassem a Evian.

Um porta-voz da polícia disse que um policial cortou a corda em que o homem, um britânico de 39 anos, estava pendurado tentando fixar uma faixa de protesto.

Em Lausanne, dois policiais também ficaram feridos, um deles com queimaduras no rosto.