Violência atinge Libéria após ordem de prisão do presidente

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 6 de junho de 2003 as 20:06, por: cdb

Membros de um grupo rebelde da Libéria estavam nesta sexta-feira a apenas cinco quilômetros da capital Monróvia, em cujo centro se ouviram disparos de armas ligeiras, disseram testemunhas.

A ofensiva dos rebeldes do grupo Liberais Unidos para a Reconciliação e Democracia (Lurd) intensificou-se nesta sexta-feira, após o anúncio da ordem de prisão, dada pelo Tribunal Especial para a Serra Leoa, patrocinado pelas Nações Unidas, ao presidente Charles Taylor.

O presidente liberiano é acusado de crimes de guerra e de responsabilidades na guerra civil na Serra Leoa, que assolou durante dez anos o país da costa ocidental africana.

A situação na capital da Libéria continuava confusa nesta sexta-feira, com dezenas de milhares de pessoas que vivem no subúrbio ocidental da cidade, a maioria deslocados de guerra, convergindo para o centro de Monróvia, para fugirem dos combates entre os rebeldes e as forças governamentais.

Os EUA disseram nesta sexta-feira que Taylor deveria enfrentar a justiça no Tribunal Especial de Serra Leoa.

– Certamente apoiamos o trabalho do tribunal. Apoiamos suas decisões. Acreditamos que qualquer pessoa que tenha sido indiciada deve enfrentar a justiça – disse o porta-voz do Departamento de Estado Richard Boucher.