“Vila Olímpica será mais um cartão postal do Rio”, diz Cabral

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 as 13:29, por: cdb
"Vamos deixar vários legados na área de segurança pública, do saneamento básico, dos transportes, da urbanização e de habitações. E este, sem dúvida, é um legado. Será mais um cartão postal do Rio, um projeto harmonioso entre natureza, a cidade e o esporte", aplaudiu Cabral.
"Vamos deixar vários legados na área de segurança pública, do saneamento básico, dos transportes, da urbanização e de habitações. E este, sem dúvida, é um legado. Será mais um cartão postal do Rio, um projeto harmonioso entre natureza, a cidade e o esporte", aplaudiu Cabral.

O governador Sérgio Cabral, acompanhado do vice Luiz Fernando Pezão, participou nesta quarta-feira da cerimônia de lançamento da pedra fundamengtal da Vila Olímpica e Paraolímpica para os Jogos de 2016, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. Cabral elogiou o projeto da vila, que será construída na Avenida Salvador Allende, ao lado do Riocentro e de frente para a Lagoa de Jacarepaguá. O governador enfatizou a preocupação do projeto com os atletas paraolímpicos, adequando instalações e circuitos a portadores de necessidades especiais.

– Este é mais um passo que vai ao encontro à realização de um sonho. Portanto, é muito bom estar aqui hoje celebrando uma parceria público-privada tão consistente e tão bonita quanto essa. Vamos deixar vários legados na área de segurança pública, do saneamento básico, dos transportes, da urbanização e de habitações. E este, sem dúvida, é um legado. Será mais um cartão postal do Rio, um projeto harmonioso entre natureza, a cidade e o esporte -, aplaudiu Cabral.

Uma vila olímpica que, na definição do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Organizador Rio 2016, Carloz Nuzman, ele mesmo um frequentador, nas últimas décadas, como atleta e dirigente, de instalações como esta pelo mundo, será a melhor e mais bonita da história das Olimpíadas.

– O presidente do COI (Jacques Rogge) pode testemunhar o que digo. Ele é um homem que vivenciou vilas olímpicas. Como atleta, participou de três Olimpíadas e como chefe do comitê olímpico da Bélgica de outras. Hoje, dia 29 de dezembro de 2010, é uma data histórica para o esporte olímpico brasileiro -, proclamou Nuzman, lembrando que o início de construção da vila olímpica – apenas um ano e dois meses após a escolha da sede dos Jogos de 2016 pelo COI – é um recorde na história das Olimpíadas.

O presidente do COI corroborou a afirmativa, a seguir. Ele, que desde 1968 frequenta vilas olímpicas, considera essas instalações muito importantes para a realização dos Jogos, porque são o coração de uma Olimpíada, pois é o lugar onde milhares de atletas de diferentes países, religião, raça e credo, convivem, durante algumas semanas, de forma harmoniosa.

– A vila olímpica é um lugar sagrado, onde a nata do esporte mundial se reúne para competir, mas com irmandade. E esta aqui, no Rio, será fantástica -, apostou Rogge, para quem a preparação da cidade para as Olimpíadas de 2016 “está indo muito bem”.

A vila do Recreio abrigará atletas de 205 países. O empreendimento está orçado em R$ 2,5 bilhões e gerará cerca de 2,5 mil empregos diretos. Ele será erguido numa área nobre da região. No terreno de um milhão de metros quadrados serão construídos 48 prédios de apartamentos de 3 e 4 quartos, somando 2.880 unidades, todas com projeto e acabamento de luxo. Os atletas paraolímpicos usarão apenas até o sexto pavimento de cada bloco de edifícios e todos os apartamentos terão um banheiro totalmente acessível a portadores de necessidades especiais.

Haverá um centro comercial em torno de uma grande praça central, levando à Rua Carioca, a de principal circulação dos moradores, ladeada por cafés, restaurantes, lanchonetes e lojas, e uma praça de bandeiras dos países participantes. Ao lado da vila, atletas de onze modalidades olímpicas e paraolímpicas disporão de um local de treinamento, que pode ser acessado a pé. E a 10 minutos de ônibus, especialmente colocados à disposição dentro da vila, eles também poderão desfrutar de uma praia particular, a Praia Olímpica, de dia e à noite, de onde poderão acompanhar por um telão a cobertura ao vivo da Olimpíada.

Do outro lado da vila olímpica, a um distância que poderá ser percorrida a pé, estará um lugar para recreações esportivas dos atletas, como quadras de vôlei de praia, tênis e futebol e para atividades aquáticas, como windsurf e caiaque.

A Prefeitura do Rio assinou no dia 9 deste contrato com a construtora Carvalho Hosken para a construção da Vila Olímpica e Paraolímpica. O prefeito Eduardo Paes garantiu que, não apenas esta, mas todas as obras para as Olimppiuadas serão iniciadas até o fim do ano.

– Tudo aquilo que demorar mais do que dois ou três anos para ser feito, o compromisso da nossa cidade é de que até o final de 2011 já tenha começado para que a gente possa trabalhar com conforto e com tranqulidade e fazer desses Jogos Olímpicos uma edxperiência inesdquec´picel e inédita na histpória do movimento olímpico mundial -, ressaltou Paes.