Venezuela derrota Bolívia por 2 a 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de novembro de 2003 as 02:24, por: cdb

A Venezuela venceu a Bolívia por 2 a 1 na partida disputada na noite da última terça-feira, em Maracaibo, pela quarta rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo da Alemanha-2006.

Em uma partida que parecia perdida para o time local, o defensor José Manuel Rey marcou o gol de empate de tiro indireto, aos 90 minutos, e nos descontos Juan Arango anotou o gol da vitória com um disparo cruzado de fora da área.

A Bolívia abriu o placar com Joaquín Botero, aos 56 minutos, que pegou um rebote da defesa local após cobrança de falta.

A seleção boliviana conseguiu controlar o adversário durante quase toda a partida, apesar de algumas boas oportunidades de gol do time local.

Quando a vitória da Bolívia parecia certa, a Venezuela obteve uma virada sensacional e confirmou sua boa campanha nestas eliminatórias sul-americanas.

No final do jogo, o volante venezuelano Ricardo David Páez disse:
 
– Isto mostra o que vamos fazer a partir de agora. Acabou a moleza contra a Venezuela.

Na primeira etapa, a Venezuela não se encontrou em campo e Arango ficou isolado no ataque, enquanto a defesa batia cabeça. Na primeira oportunidade clara de gol, Arango acertou uma bola no travessão do goleiro Leonardo Fernández.

No gol venezuelano, o goleiro Gilberto Angelucci salvava a pátria defendendo dois tiros a queima-roupa de Joaquín Botero, a arma ofensiva da Bolívia.

A Venezuela iniciou o jogo com muita disposição, mas os bolivianos equilibraram as ações a partir dos 15 minutos, quando a Bolívia fechou o meio-campo e armou uma linha de até seis homens na intermediária, bloqueando o time dirigido por Richard Páez.

Com esta estratégia do técnico Nelson Acosta, a Bolívia passou a controlar as ações, deixando o adversário sem espaço para criar.

No segundo tempo, os venezuelanos partiram com mais energia em busca do gol, por intermédio de Daniel ‘Cari Cari’ Noriega e seu substituto Wilfredo Moreno, que criou boas oportunidades entre a zaga boliviana, que sofria com o calor de Maracaibo.

Aos 57 minutos, quando a Venezuela era melhor, uma rebatida da zaga venezuelana, após um tiro livre, deixou Joaquín Botero na boa para marcar o primeiro gol do jogo.

A Venezuela reagiu a altura, com Juan Arango criando pelo menos três oportunidades claras de gol, incluindo um anulado aos 83 minutos por impedimento.

A pressão venezuelana aumentou, mas o gol não saia e quando a equipe local já jogava no desespero, um disparo de Rey, após um tiro indireto, empatou o jogo aos 90 minutos.

Dois minutos depois, Arango pegou uma bola na meia-lua e disparou com violência contra o gol de Fernández, colocando o tiro rasteiro a esquerda do goleiro boliviano, para o delírio da pátria venezuelana.

Com esta vitória, a Venezuela soma seis pontos e fica junto a Uruguai e Paraguai na tabela, atrás dos líderes Brasil e Argentina.

Nestas eliminatórias, a Venezuela perdeu para Equador (2-0) e Argentina (3-0), e venceu Colômbia (1-0) e Bolívia (2-1).

A Bolívia, que soma três pontos, perdeu para Uruguai (5-0), venceu a Colômbia (4-0) e foi derrotada por Argentina (3-0) e Venezuela (2-1).