Vendas do comércio em julho caem 4,36% em relação a 2002, diz IBGE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de setembro de 2003 as 11:19, por: cdb

As vendas do comércio varejista em julho caíram 4,36% em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Esta foi a oitava queda consecutiva do setor, porém com redução do ritmo nos últimos dois meses analisados. A queda acumulada no ano é de 5,42% e nos últimos 12 meses, de 3,47%.

A receita nominal de vendas permanece com resultados positivos, porém com crescimentos menores nos últimos dois meses. Em julho, ficou em 14,14%. No acumulado em 2003, a variação é de 15,04% sobre o mesmo período de 2002. O acumulado dos últimos 12 meses é de 12,60%.

O maior impacto negativo do mês de julho foi mais uma vez da atividade de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-5,46%). Em seguida, vieram Demais artigos de uso pessoal e doméstico (-3,83%), Tecidos, vestuário e calçados (-6,20%), Combustíveis e lubrificantes (-2,43%) e Móveis e eletrodomésticos (-1,01%). O grupo Veículos, motos, partes e peças ficou com taxa de -10,90% e Hipermercados e supermercados, com -5,41%.

Dos 27 estados pesquisados pelos IBGE, 22 apresentaram retração em julho. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as quedas nas vendas – de 4,38% e de 7,09%, respectivamente – explicam 63% do resultado nacional, já que os dois estados têm a maior participação na receita do setor. Somando-se as contribuições das taxas de Minas Gerais (-3,77%), Rio Grande do Sul (-3,69%) e Pernambuco (-9,34%) chega-se a 80% da queda nacional.

Os cinco estados com crescimento no volume de vendas foram Rondônia (5,05%), Mato Grosso do Sul (3,14%), Goiás (2,47%), Amapá (2,24%) e Paraná (0,54%).