Vendas de eletroeletrônicos cresceram 20% em 2004

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de janeiro de 2005 as 14:41, por: cdb

O setor de eletroeletrônicos fechou 2004 com uma recuperação próxima de 20% nas vendas, de acordo com balanço preliminar da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos, Eletros. A avaliação foi feita com base no desempenho de dezembro.

– Este é o primeiro ano, desde 2000, que o setor registra vendas maiores do que no exercício anterior, e pode significar reversão da curva de queda e o início de uma retomada – afirma Paulo Saab, presidente da entidade.

A expectativa do setor é de elevação de 6% das vendas em 2005. Para Saab, tal projeção depende do desempenho da economia – que para a Eletros deverá crescer 3,5% neste ano – o que está muito relacionado com a redução dos juros e dos tributos.

Segundo a entidade, a queda dos preços dos eletroeletrônicos, junto com a redução do desemprego foram os principais fatores que sustentaram a recuperação do setor no ano passado. A demanda foi liderada especialmente pela linha de imagem e som, com vendas 32,72% superiores a 2003, e pela linha branca, que registrou expansão de 23,32%. A linha de portáteis, de acordo com a Eletros, deve fechar 2004 com uma expansão de 8 52%. No ano passado, o setor deve ter comercializado 35,78 milhões de unidades.

No ano passado foram vendidos 3,6 milhões de refrigeradores – 20% a mais do que 2003 – e 3,7 milhões de fogões, uma expansão de 22%. O maior crescimento na linha branca foi registrado pelas secadoras de roupa (159%) e lavadoras automáticas (30%).

O levantamento da Eletros aponta venda de 7 milhões televisores, volume 33% acima do apurado em 2003. Os DVDs apresentaram crescimento de vendas de 80%. Somente no ano passado, foram comercializados cerca de 3 milhões de aparelhos, o que elevou o número de DVDs para perto de 6,5 milhões de unidades.

Nos portáteis, os secadores modeladores apresentaram o melhor desempenho, com 54,75%, seguido pelas cafeteiras (17%) e batedeiras de bolo (15%). Em volume de unidades, segundo a Eletros, os ferros de passar roupa mantiveram a liderança, com 5 2 milhões de unidades vendidas, seguido pelos liquidificadores.

Para este ano, a entidade espera uma taxa mais baixa de expansão, de 6%. “Em 2004, parte do resultado foi influenciado pela baixa base de comparação do exercício anterior, mas neste ano o crescimento já se dará sobre bases mais elevadas”, comentou Paulo Saab. Na sua avaliação, para que esse resultado seja atingido é essencial que a política econômica não mude. Também é fundamental uma taxa de inflação abaixo de 6%, desvalorização do câmbio pouco superior à alta do custo de vida (2%), taxas de juros em queda e aumento da massa salarial dos trabalhadores.

– Neste cenário, conseguiremos crescer em torno dos 6% – comentou o presidente da Eletros.