Venda de imóveis novos crescem abaixo das expectativa nos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 as 11:17, por: cdb
Wall Street
Wall Street esperava resultado melhor

O Departamento de Comércio dos EUA reportou, nesta sexta-feira, que as vendas de imóveis novos cresceram 5,5% em novembro, na esteira de um desempenho negativo de outubro, quando foram registrado o nível mais baixo de negócios dos últimos 47 anos. A reação de novembro, no entanto, frustrou as expectativas do mercado, que projetava um crescimento na casa dos 6%. Foram vendidas 290 mil casas no ano, quando o mercado esperava 300 mil. Na véspera, a entidade privada NAR (associação dos corretores) informou que as vendas de imóveis usados cresceram 5,6% no mês passado, também abaixo das expectativas dos analistas (consenso em torno de 6,8%).

Na véspera, os principais índices das bolsas dos EUA fecharam a quarta semana seguida de ganhos, com o índice Dow Jones em alta, à medida que investidores se monstram confiantes de que a recuperação econômica continuará dando suporte ao mercado de ações. O Dow Jones, referência da Bolsa de Nova York, avançou 0,12%, para 11.573 pontos.

Mas o termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,22%, para 2.665 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 perdeu 0,16%, para 1.256 pontos. A leve queda do S&P 500 quebra uma sequência de cinco dias de ganhos desse indicador, em meio ao menor volume do ano. O setor bancário conduziu o mercado para baixo, abandonando parte dos recentes ganhos após um forte mês.

O índice de bancos KBW recuou 0,9%, num mês em que o setor já acumula ganhos de 15,7%. Bank of America Corp perdeu 2,4%, ao passo que JPMorgan Chase & Co caiu 0,2%. Alguns indicadores técnicos e de confiança sugerem uma desvalorização nas ações no curto prazo, mas invetidores continuam otimistas com o recente tom positivo.

Keith Springer, presidente da Springer Financial Advisors, em Sacramento, Califórnia, disse ser mais provável que o mercado “ande de lado” em vez de exibir forte queda.
Os dados macroeconômicos divulgados nesta quinta-feira vieram mistos. Os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos recuaram na semana passada, enquanto o gasto do consumidor cresceu em novembro pelo quinto mês seguido.

No acumulado da semana, o S&P 500 avançou 1%, o Dow Jones subiu 0,7%, enquanto o Nasdaq ganhou 0,9%.