Vasp mantém concessão mas perde vôos regulares

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de janeiro de 2005 as 21:45, por: cdb

A Vasp, que já foi a segunda maior companhia aérea do país, está impedida de realizar vôos regulares a partir de quinta-feira, em meio à grave crise financeira e à suspensão de vôos nos últimos dias que prejudicou passageiros.

Auditoria realizada na empresa pelo Departamento de Aviação Civil (DAC) entre os dias 20 e 26 revelou que a Vasp não tem condições de manter vôos regulares, o que levou o órgão a retirar da empresa a autorização.

O diretor-geral do DAC, major brigadeiro Jorge Godinho, disse que está entrando em contato com as outras companhias aéreas para ver se elas endossam os bilhetes da Vasp para não prejudicar os clientes.

Procurada pela Reuters, a assessoria de imprensa da Vasp disse que a empresa não comenta a decisão do DAC. Fonte próxima à companhia aérea, contudo, disse que o presidente da Vasp, Wagner Canhedo, vai continuar a negociar com o governo.

De acordo com o DAC, a Vasp continua a ter concessão para operar, que vence em abril. Porém, se quiser realizar vôos fretados ou regulares terá que pedir autorização ao órgão. Na terça-feira, o governo propôs que a Vasp se concentrasse em vôos fretados, idéia refutada por Canhedo num primeiro momento.

– Inspetores do DAC ainda se encontram na empresa, com o objetivo de levantar, com a maior brevidade possível, a quantidade de passageiros que será afetada pela suspensão dos vôos regulares da Vasp e quais os procedimentos que a empresa adotará de modo a não causar prejuízo aos usuários, em especial quanto ao reembolso dos bilhetes emitidos – segundo nota da Aeronáutica.

Mais cedo, nesta quarta-feira, os funcionários da Vasp anunciaram que entrariam em greve a partir da zero hora de quinta-feira, paralisação que se estenderia até dia 4 de fevereiro, por salários atrasados.

Desde sábado, a Vasp vinha cancelando vôos com ocupação inferior a 50%, argumentando que trariam prejuízo à empresa. Antes de proibir os vôos regulares da empresa, o DAC havia multado a companhia aérea.

A Vasp operava oito linhas regulares, concentrando-se no Nordeste.

A Vasp teve sua crise deflagrada em meados do ano passado, devido a problemas com sua frota de aviões. Em dezembro, a empresa tinha participação de mercado inferior a 1%.