Varig atribuiu prejuízo de meio bilhão à desvalorização do real

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de agosto de 2001 as 19:49, por: cdb

A Varig, que registrou prejuízo líquido de R$ 509,1 milhões no primeiro semestre e patrimônio líquido negativo R$ 657,8 milhões, atribuiu o mau desempenho no período à alta do dólar. O diretor de Relação com os Investidores, Manuel Guedes, afirmou que o impacto do câmbio foi de cerca de R$ 300 milhões. Além disso, segundo ele, a empresa teve encargos financeiros elevados por conta de sua dívida de US$ 1,250 bilhão.

Com as tarifas aéreas liberadas, a Varig estuda aumentar preços para compensar a alta dos custos operacionais e do combustível. “Haverá um realinhamento das tarifas de acordo com as rotas”, disse Guedes, sem detalhar números. Fontes do setor estimam que a companhia deve reajustar os preços de alguns trechos em 30%.

Ocupação
A Varig registrou nos primeiros dias de agosto ocupação de assentos de 72% no âmbito doméstico e de 73% nas rotas internacionais. No primeiro semestre teve, em média, 65% dos assentos ocupados nas rotas domésticas e de 72% nas rotas internacionais. Apesar dos números satisfatórios, os executivos da companhia afirmam que o movimento não cresceu conforme o esperado entre janeiro e julho.

O presidente da Varig, Ozires Silva, declarou que todo o setor de aviação está sofrendo com a desaceleração econômica mundial. “Pelo menos não estamos sozinhos”, disse ele. Ozires disse também que sua companhia não quer saber de guerras tarifárias, mas apóia a decisão do governo de liberar as tarifas.