Ustra terá que pagar indenização à família de preso político

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de junho de 2012 as 14:09, por: cdb

A determinação foi da juíza de Claudia de Lima Menge, da 20 ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo. Cabe recurso da decisão

26/06/2012

 

Aline Scarso,

Da Redação

 

O coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, reconhecido por ser um dos agentes de repressão da ditadura civil-militar no Brasil (1964-1984), foi condenado a pagar R$ 50 mil como indenização à família do jornalista Luiz Eduardo da Rocha Merlino, morto em decorrência de tortura nas dependências do DOI-CODI (Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna) em São Paulo, em dezembro de 1971.

A determinação foi da juíza de Claudia de Lima Menge, da 20 ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo. Cabe recurso da decisão.

Apesar do processo correr na área civil e de a família ressaltar que não faz questão do dinheiro, os familiares acreditam que parte da justiça foi realizada. “A gente está muito feliz porque essa luta pela responsabilização do autor da morte do Merlino é de muitos anos, começou com minha avó”, conta a jornalista e sobrinha de Luiz Eduardo, Tatiana Merlino.

Segundo ela, a família considerou como “muito boa” a sentença da juíza, que questionou a impunidade concedida aos torturadores pela Lei de Anistia de 1979, desconsiderando o principal argumento de defesa de Ustra. “É uma sentença histórica para o Brasil. Apesar de caminharmos a passos lentos, e a decisão ser na área civil, acho fantástico. Tomara que isso sirva de estímulo para outras irem atrás dos algozes de seus familiares”, acrescenta Tatiana.

Mais sobre o assunto:  Torturador da ditadura sofre revés no STF