União Européia nega contribuição de US$ 1,2 bilhões ao combate à Aids

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 21 de junho de 2003 as 13:40, por: cdb

Os dirigentes da União Europeia (UE) renunciaram à proposta de contribuir com 1,2 mil milhões de dólares (mil milhões de euros) por ano para o Fundo Mundial contra a Aids, Tuberculose e Paludismo, apresentada na Cúpula de Salónica.

No texto levado a discussão, pedia-se a cada Estado-membro e à Comissão Européia que dessem uma contribuição elevada para financiamento daquele Fundo, de modo a que recebesse da UE, por ano, até EU$ 1 bilhão. Mas as conclusões do encontro, divulgadas neste sábado, não referem mais do que uma “contribuição elevada para financiamento do Fundo”.

A França e a Grã-Bretanha estiveram na origem do apelo, embora a Alemanha e a Holanda não fossem favoráveis, disse o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Jack Straw.

– Gostaria que nos tivéssemos comprometido a atingir US$ 1 bilhão, mas estavam 25 países à volta da mesa e tínhamos de ser unânimes – comentou o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, à margem dos trabalhos, admitindo que alguns Estados tinham outras prioridades financeiras.

O Fundo Mundial contra a Aids, Tuberculose e Paludismo, criado em Janeiro de 2002, recebeu até agora promessas de cerca de US# 3,5 bilhões (cerca de EU$ 3 bilhões de euros) mas precisa de mais do dobro dessa quantia, nos próximos dois anos, para combater a doença que causou mais de 3 milhões de mortos em 2002.