Unesco defende patrimônio imaterial no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de janeiro de 2002 as 23:28, por: cdb

A Organização das Nações Unidas para a Ciência e a Cultura (Unesco) quer redigir uma convenção internacional para zelar pela proteção do patrimônio imaterial da humanidade, informaram nesta segunda-feira seus responsáveis. A porta-voz da Unesco no Brasil, Tania Jobimi, disse que este é o objetivo do Encontro Internacional de Especialistas sobre Patrimônio Cultural Imaterial: Temas Prioritários para a Convenção Internacional, que ocorre nesta terça-feira, no Rio de Janeiro.

Jobimi explicou que entende-se por patrimonio cultural imaterial, “todas as formas tradicionais e populares de cultura transmitidas oralmente ou por gestos, e que, com o tempo, tenham sofrido modificações por processos de recreação coletiva”. De acordo com a porta-voz, a Unesco classifica como patrimônio imaterial da humanidade as vestimentas, idiomas, música, dança, ritos, festas, arte culinária e a medicina tradicional dos povos ao redor do mundo. Jobimi disse que entre as obras de patrimônio imaterial estão tradições como o carnaval de Oruro, na Bolívia; o patrimônio oral do povo de Zápara que fica entre o Equador e o Peru, assim como a língua, danças e música dos Garifuna, que vivem Belize, Honduras e na Nicarágua.

Para essas expressões, a Unesco exigirá dos governos e organizações culturais o mesmo tratamento e cuidado de conservação que é dado às ruínas de Machu Picchu, no Peru e às Ilhas Galápagos, no Equador. O diretor-geral da Unesco, Koichiro Matsura, participará do seminário.