Uma boa comédia de elenco

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de janeiro de 2005 as 09:30, por: cdb

Quando Entrando numa fria foi lançado, a crítica não o adorou, como se pensou que poderia ter acontecido. O enredo do filme era muito bom, com bom elenco e ótimas cenas. Mas o filme tinha ficado no meio do caminho entre uma comédia muito divertida e uma produção meio boba. De Niro estava muito bem, melhor do que muita coisa que ele andava fazendo. 

Alguns anos se passaram e agora chega às telas Entrando numa fria maior ainda. A continuação de Entrando numa fria é melhor do que o original. E o elenco também! Adicione ao enredo Dustin Hoffman e Barbra Streissand (esta fazendo o papel de uma terapeuta sexual para idosos). Entrando numa fria maior ainda é muito engraçado, consegue manter um ritmo, uma fluidez, que falta no primeiro e ainda acrescentar alguma dignidade que faltou no primeiro filme. O leitor deve entender: esses filmes não são filmes de enredo, são filmes de personagens. Ben Stiller faz o mesmo papel desde sempre, o que não agrada um bocado de gente, mas o deixa mais confiante. Dustin Hoffman está muito a vontade como B. Focker, que pode ser visto como uma parábola da geração sessentista.

A direção de Jay Roach também parece ter amadurecido, desde o primeiro filme. É notável a superação do timing em Entrando numa fria maior anda. O mesmo se pode dizer da série Austin Powers, dirigida por Roach. A cada filme, uma visível melhora. Provavelmente, o terceiro Entrando numa fria será ainda melhor. Mas, por via das dúvidas, melhor nem tentar fazer.