Um Congresso aberto, transparente e democrático

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de setembro de 2011 as 10:08, por: cdb

Pluralista e de olho no futuro – um Congresso que colocou o PT no século XXI. Esta é a melhor síntese que faço do 4º Congresso Nacional do PT encerrado nesse domingo, em Brasília. Principalmente porque evidenciou, mais uma vez, o PT como um partido de participação e vocacionado para o poder, que discute seus estatutos, mas também as políticas do governo a que deu origem e ajudou a eleger, práticas raras no mundo hoje.

O Congresso mostrou um PT que renova seu projeto político, e sua organização buscando fazê-la cada vez mais democrática, participativa e militante. Isso fica  evidente, dentre outras medidas na paridade aprovada de 50% para a participação das mulheres, nas cotas racial e de geração (jovens) estabelecidas, na limitação do número de mandatos parlamentares, nas medidas que possibilitarão a busca da autonomia financeira e de condições de financiamento das campanhas.

Estabeleceram-se, também, regras democráticas e condições de igualdade nas eleições internas no partido. Asssim, do Congresso emergiu um PT que defende os mais altos e avançados interesses do país, regras democráticas e garantia de pluralidade – reafirmo, um partido para o século XXI.

Reafirmamos o nosso projeto politico e a luta pela sua continuidade, bem como a politica de alianças, mas com a manutenção das bandeiras históricas do PT. Reafirmamos nosso empenho pelas reformas política, administrativa e tributária, pela regulação da mídia e sua democratização. Enfim, reafirmamos todas as bandeiras que o PT vai defender e buscar viabilizar democraticamente na luta sensibilizando a sociedade, e no diálogo e na busca de consensos no Parlamento.

Foi um congresso em que houve, nitidamente, a reafirmação do projeto de desenvolvimento nacional e seu aprofundamento, de seu caráter nacional, popular e democrático de sua vocação para a integração regional e para a afirmação do Brasil no mundo. Foram pontos aprovados por unanimidade, o que revela que o partido está em sintonia com o governo Dilma Rousseff e com suas políticas econômica  e externa, e com todas as demais medidas e decisões da Presidenta da República nos seus primeiros oito meses de Governo.