UBM: Estado da Palestina Já!

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de novembro de 2012 as 07:35, por: cdb

Em nota, a União Brasileira de Mulheres (UBM) que integra Comitê Nacional pela defesa do Estado da Palestina com mais de 60 Entidades, divulgou nota nesta semana declarando solidariedade ao povo palestino. Na nquinta-feira (29), começa o Fórum Social Mundial Palestina Livre que vai até o dia 1º de dezembro, em Porto Alegre (RS). Na mesma data, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) coloca em votação o reconhecimento da Palestina. Abaixo a íntegra da nota.


O Povo Palestino Tem o Direito de Ter o seu Próprio Estado, Livre, Democrático e Soberano! Estado da Palestina Já!

Enquanto o povo palestino vem insistindo por uma paz justa para o conflito, os sucessivos governos israelenses continuam não cumprindo as inúmeras resoluções da ONU, negando-se a negociar a paz com a retirada de suas tropas dos territórios palestinos ocupados.

Os ataques contra a faixa de Gaza tentam impedir as justas reivindicações por um Estado da Palestina independente e soberano e sua admissão na ONU, postergada há mais de 60 anos. Esses ataques israelenses, assim como os anteriores, desviam a atenção da raiz do problema: a ocupação dos territórios palestinos, a construção e expansão dos assentamentos israelenses em territórios palestinos, a situação dos refugiados e o prolongado bloqueio econômico a Gaza, imposto desde 2007, que submete à fome esse pequeno território de 360 Km2 (um quarto da cidade de São Paulo) onde vivem mais de 1,7 milhão de pessoas; a ONU manifestou preocupação com a situação de calamidade em Gaza.

As agressões israelenses contra Gaza também visam beneficiar candidatos do governo que buscam a reeleição nas eleições de janeiro de 2013. Há uma tendência a ataques contra palestinos previamente a períodos eleitorais, como ocorreu em 2006 e 2008 e em muitas agressões anteriores.

Desde setembro de 2011, a Organização pela Libertação da Palestina (OLP), reconhecida internacionalmente como única e legítima representante do povo palestino, vem solicitando da ONU a admissão do Estado da Palestina como seu 194º membro pleno desta organização, tendo como fronteiras as linhas de 1967 e compreendendo a Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental como Capital.

Neste dia 29 de novembro, haverá uma nova votação desse tema, na qual esperamos vê-lo aprovado. Cabe à ONU, com base no direito internacional e em suas próprias resoluções (em especial a 181, de 1947, que reconhece o Estado da Palestina), ratificar e admitir o Estado da Palestina como seu membro pleno.

Uma paz justa e duradoura pressupõe a criação, de fato, do Estado da Palestina, e a inclusão deste como seu membro pleno com todos os direitos e deveres que tal decisão implica. O reconhecimento de um Estado palestino soberano, baseado no fim da ocupação, na erradicação dos assentamentos e no retorno dos refugiados atende aos interesses fundamentais dos povos da região.

Repudiamos ainda o muro do Apartheid ou Muro da Vergonha – que foi declarado ilegal pelo Tribunal Internacional de Justiça –, que hoje já tem cerca de 750 km de extensão e que proíbe a livre circulação de pessoas e produtos entre as cidades e vilas palestinas e confisca vastas áreas agrícolas dos palestinos.

Apoiaremos todas as mobilizações populares d@s palestin@s que lutam por seus direitos inalienáveis ao retorno, ao seu Estado e à sua autodeterminação. Nós, militantes de organizações representativas do povo brasileiro, afirmamos: apoiar o povo palestino é apoiar todos os povos em sua caminhada de paz, justiça e liberdade!

Ouçam as vozes do povo brasileiro: Estado da Palestina Já!

Elza Maria Campos, coordenadora nacional da União Brasileira de Mulheres (UBM)

 

..