Turquia elege governo de orientação islâmica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de novembro de 2002 as 22:59, por: cdb

Há apenas três anos, Recep Tayyip Erdogan estava preso na Turquia por sedição. Agora, é o político mais poderoso do país. Seu Partido do Desenvolvimento e da Justiça (AKP), de origem fortemente islâmica, obteve uma demolidora vitória nas eleições parlamentares do final da semana, conseguindo mais de 60 por cento das cadeiras do Parlamento.

Na segunda-feira, em pronunciamento à nação, o veterano primeiro-ministro turno Bulet Ecevit, de 77 anos, cujo Partido da Esquerda Democrática sofreu uma fragorosa derrota, apresentou sua renúncia, acrescentando que permencerá no cargo até que o AKP indique o novo chefe do governo.

Apesar de líder do AKP, Ergodan está proibido de assumir o poder por ter sido condenado em 1998 por sedição islâmica e seu partido ainda responde a processo para seu banimento por ações extremistas. Os próximos dias serão decisivos para a definição do futuro do governo.

Em entrevista à imprensa após sua vitória, Ergodan negou possuir uma agenda islâmica, garantiu que a Turquia permanecerá um estado secular e prometeu apoiar a integração do país na União Européia.

Na entrevista, ele deixou claro que a Turquia, país membro da Otan, será contrária a um ataque ao Iraque.