Turquia condena sete à prisão perpétua por atentados em Istambul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007 as 19:58, por: cdb

Um tribunal na Turquia condenou à prisão perpétua sete pessoas pelos ataques a bomba contra alvos britânicos e judeus em Istambul em 2003 que deixaram 60 mortos.

O sírio Loa’i al-Saqa foi considerado culpado por planejar e financiar os ataques a um consulado britânico, duas sinagogas e uma agência do banco HSBC.

Saqa, descrito pela promotoria como um dos integrantes mais graduados da Al-Qaeda na Turquia, foi acusado de dar US$ 150 mil aos militantes para executar os ataques suicidas em Istambul.

Segundo a promotoria, o grupo auto-intitulado Guerreiros do Islã recebeu treinamento no Afeganistão e teria agido sob ordem direta de Osama bin Laden.

Os outros seus réus eram cidadãos turcos condenados por organizar os ataques. Mais de 70 pessoas estão sendo julgadas pelos ataques, que também deixaram cerca de 600 feridos.

Dezenas receberam sentenças mais leves e alguns foram absolvidos das acusações. Vários réus fizeram longos pronunciamentos e gritaram “Deus é Grande” quando o juiz proferiu a sentença.