Turismo da Mercocidades aproxima empresários

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de março de 2012 as 13:47, por: cdb

26/03/2012 16:41:57

Dispostos a participar da proposta de integração regional das cidades do Mercosul a partir da consolidação de produtos turísticos de municípios do Brasil, do Uruguai e demais países do bloco, empresários do trade turístico e de outros segmentos empresariais de Porto Alegre, Maldonado e de Punta Del Este tiveram nesta segunda-feira, 26, na capital gaúcha, uma primeira rodada de intercâmbio com vistas ao incremento de novos negócios.

O encontro foi promovido pela Unidade Temática Turismo (UTT) da Rede Mercocidades, que na última sexta-feira, 23, fez o lançamento da rota turística Capitais Gauchas-Rota Tchê/Capitales Gauchas-Ruta Che, durante o Congresso Internacional de Turismo da Mercocidades.

“Para que o turismo se materialize como uma atividade integrada na região do Mercosul, é preciso esquecer que somos de países diferentes, aproximar as cidades pelas suas identidades e articular para que as ideias e ações se transformem em negócios na área privada”, resumiu o secretário de Turismo de Porto Alegre, Luiz Fernando Moraes, coordenador da UTT da Mercocidades, na abertura dos trabalhos. Subdiretor-geral de Turismo da Intendência Departamental de Maldonado e subcoordenador da UTT, Álvaro Bertoni, ressaltou a necessidade de aproximação dos setores públicos e da iniciativa privada “numa lógica de cooperação e de um turismo sem fronteiras na região”.

Segmentos – A rodada teve a participação de agentes de viagem e operadores de turismo, dirigentes de hotéis, restaurantes, empresas de transporte turístico, consultorias, associações empresariais do trade e também da área imobiliária, setor que em Punta Del Este é estritamente associado ao fluxo turístico no famoso balneário uruguaio no segmento de locações.

O empresário do setor na Capital e conselheiro do Sindicato da Habitação do Estado, Cezar Sperinde, reconheceu a falta de diálogo entre setor imobiliário e o Turismo e as potencialidades de negócios que podem surgir. “O setor em Porto Alegre está mais focado na compra e venda de imóveis, por isso a demanda por locação é maior do que a oferta”, afirmou. João Luiz dos Santos Moreira, presidente da Confederação dos Conventions & Visitors Bureau, destacou que o setor imobiliário no Brasil ainda não despertou para demandas que a Copa 2014 trará ao país. “Na Copa da África do Sul, a modalidade de hospedagem chamada ‘cama & café’ foi a mais procurada pelos turistas, mas embora normatizado no Brasil, é um segmento ainda despreparado e um mercado que está à espera de investimento”, informou.

A desburocratização das alfândegas nas regiões de fronteira, especialmente entre Brasil, Uruguai e Argentina, foi outro tema pautado no encontro pela Associação das Transportadoras Turísticas do Estado (Aturs) e apontado como um entrave ao fluxo turístico rodoviário entre os países. 
 

/turismo

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Vanessa Oppelt Conte
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.