Tumulto marca chegada de Lula à sede da transição de governo em Brasília

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 6 de novembro de 2002 as 16:47, por: cdb

Um grande tumulto marcou a chegada, no fim da manhã desta quarta-feira, do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, ao Centro de Treinamento do Banco do Brasil, sede da transição de governo, em Brasília.

Cerca de 300 funcionários do Centro furaram o cerco de segurança e correram ao encontro de Lula, à saída do carro.

Ao mesmo tempo, aproximadamente 80 cinegrafistas, fotógrafos e jornalistas disputavam espaço com os funcionários, e a segurança agiu com rigor.

O problema ocorreu porque, em vez de parar na área isolada, próxima à entrada do prédio, o comboio do presidente eleito parou cerca de 50 metros antes.

Lula demorou pelo menos cinco minutos no trajeto do carro à portaria que dá acesso ao seu gabinete, onde já o aguardava o governador eleito de Santa Catarina, Luiz Henrique, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Alguns jornalistas foram agredidos por seguranças, enquanto Lula era conduzido para o escritório.

Em seu primeiro dia de trabalho na sede da transição de governo, Lula terá uma jornada cheia: receberá também o senador José Sarney, do PMDB, e o presidente do Banco Mundial, James Wolfensohn.

Granja do Torto
O porta-voz de Lula, André Singer, disse que ainda não está definido o local onde Lula irá morar em Brasília após a posse, mas o presidente já manifestou desejo de ocupar a Granja do Torto em vez do Palácio da Alvorada, onde reside o presidente Fernando Henrique Cardoso.

Na Granja do Torto, o único morador foi o general João Batista Figueiredo, o último presidente do regime militar.

Outra informação de Singer diz respeito às viagens que Lula fará ao exterior antes da posse. Segundo o porta-voz, somente na próxima semana deverá ficar acertado o roteiro de viagens.

Lula, que chegou na noite de segunda-feira a Brasília, passou parte da manhã reunido com o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), deputado José Dirceu, e com o coordenador da equipe de transição, Antônio Palocci, no Naoum Plaza Hotel.

No mesmo hotel estava hospedado o governador de Minas Gerais, Itamar Franco, que acabou não se encontrando com o presidente eleito.

Itamar, que brigou com o PMDB, durante as eleições por apoiar Lula, revelou contrariedade com os encontros mantidos na véspera pelo presidente de seu partido, Michel Temer, e o líder do PT, José Dirceu.

Irônico, apontou uma foto de Temer e Dirceu juntos no jornal e comentou: “Que bonito”!