Tucanos e Kassab não cumprem promessas de campanha e prejudicam vizinhos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 28 de junho de 2012 as 14:12, por: cdb

Se o prefeito, Gilberto Kassab (ex-DEM-PSDB, agora PSD) e seus companheiros tucanos na parceria administrativa da capital, o ex-governador José Serra e o governador Geraldo Alckmin tivessem cumprido minimamente a promessa com a qual o prefeito se reelegeu em 2008, de minorar os problemas do trânsito paulistano, não estariam causando tantos problemas às demais 38 cidades da Região Metropolitana de São Paulo.

Mas, como aquela história de Kassab na campanha da reeleição em 2008, de melhorar o trânsito  era só uma bandeira eleitoreira e ele não cumpriu sequer sua promessa de construir e/ou reformar 26 corredores de ônibus na capital – o que melhoraria o trânsito paulistano – os 38 prefeitos da Grande São Paulo agora precisaram se articular com a FIESP e com órgãos estaduais para pressioná-lo a aliviar o veto à circulação de caminhões na capital.

As restrições impostas desde 2009 por Kassab à circulação de caminhões na capital levou estes veículos a irem para as cidades vizinhas, em busca de rotas alternativas, circulação, ou de estacionamento até chegar o horário em que podem entrar e circular em São Paulo.

Seis reuniões e nada foi resolvido

Agora os prefeitos dessas 38 cidades, com a participação da FIESP, já mantiveram seis reuniões com órgãos estaduais e municipais da capital, para negociar uma redução no tempo de restrições imposta à entrada e à circulação de caminhões na cidade. Não chegaram, ainda, a nenhum acordo porque a Secretaria Municipal de Transporte de Kassab não aceita assumir compromisso nesse sentido.

“Vamos tentar um acordo”, insiste o prefeito de Osasco (uma das 38 cidades prejudicadas), Emídio de Souza (PT), vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento Metropolitano. Órgão, aliás, presidido por Kassab. “É o primeiro grande tema a ser enfrentado de forma concreta”, informa Emídio, em agosto, quando o Conselho volta a se reunir e programa ampliar a pressão sobre o prefeito paulistano.

A verdade é que 20 anos depois de os tucanos começarem a se revezar no poder no Estado – Mário Covas foi governador duas vezes, José Serra uma vez, Alckmin três vezes – ou 30 anos, a contar do 1º governo deles (Franco Montoro, a partir de 1983) eles ainda não tem uma política para as regiões metropolitanas da capital e do Estado (as outras São Campinas e Baixada Santista).

Boa sorte, prefeitos, mas as perspectivas não são boas

Pior, não tem nem para essa área de transporte e trânsito viário urbano, nem para os transportes públicos de massa. Quer dizer, de fato, não tem uma política de mobilidade, seja da população seja de carga para estas regiões metropolitanas.

Boa sorte aos 38 prefeitos que vão se mobilizar e pressionar Kassab a reduzir às restrições à circulação de veículos grandes de transporte de carga na capital. Se vão obter êxito é outra história, porque os tucanos estão aí há três décadas e não resolveram nada nessa área.