Tucanos desconfiam que Serra sabe mais do que aparenta sobre debandada na direita

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 27 de abril de 2011 as 13:11, por: cdb
Atualizado em 14/11/16 21:13
tucano
O tucano José Serra sabe mais do que aparenta

A debandada dos partidos da direita para o PSD, legenda formada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, esvazia agremiações como o PSDB, o DEM e o PPS. Desta vez, o tucano Ricardo Montoro, filho do ex-governador Franco Montoro e um dos fundadores do PSDB, anuncia pelos jornais que vive um “extremo desconforto” no partido após as recentes baixas. Montoro, no entanto, ainda não admitiu que seguirá os passos de Kassab.

– Quero tomar uma atitude prudente. Estou refletindo. Mas que não estou confortável no partido, não estou – disse à jornalista Mônica Bergamo, colunista do diário conservador paulistano Folha de S. Paulo. O tucano reclamou da “falta de diálogo e de democracia na legenda”, segundo a cronista política.

Dedo de Serra

Há tucanos desconfiados, no entanto, que o movimento realizado pelo prefeito paulistano está longe de ter sido uma iniciativa solitária. Segundo os principais assessores do tucano Geraldo Alckmin, governador do Estado paulista, o candidato derrotado à Presidência da República nas últimas eleições José Serra estaria a par dos movimentos de setores inteiros das três legendas que formam o arco da direita no país e acompanha de perto o crescimento do PSD. Segundo outra colunista do diário conservador paulistano, “José Serra não seria ‘apenas espectador’ da debandada de tucanos rumo ao PSD de Gilberto Kassab”.

Segundo apurou a jornalista Renata Lo Prete, “Alckmin e aliados acreditam que Serra não somente sabe mais do que aparenta sobre as negociações conduzidas pelo prefeito de São Paulo como, em pelo menos alguns casos, foi consultado e pouco ou nada fez para evitar a dissidência”.

Outra fonte, ouvida pelo Correio do Brasil, não apenas ratifica a informação de que o tucano estaria mais próximo do que se imagina ao projeto de Kassab como acredita que esta seria a forma encontrada pelo grupo serrista para se manter vivo na política nacional.

– O Serra sabe muito bem que a vez no PSDB, agora, é do Aécio Neves e, dessa vez, ele não conseguirá deter a candidatura do senador mineiro à sucessão da petista Dilma Rousseff. A melhor alternativa seria mesmo esta que parece estar adotando, a de migrar para um novo partido e levar com ele os aliados que conquistou no DEM e no PPS – disse o tucano.

Comments are closed.