Trinta países terão arsenal nuclear, prevê ElBaradei

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 16 de outubro de 2006 as 11:48, por: cdb

Cerca de 30 novos países poderão desenvolver armas nucleares, além das nove potências militares que já estão dotadas deste armamento, declarou nesta segunda-feira o diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em Viena, Mohamed ElBaradei.

– Temos de desenvolver uma nova aproximação internacional, caso contrário teremos de enfrentar não nove Estados que têm a arma nuclear, e sim outros vinte, trinta, que têm capacidade para desenvolver armas nucleares rapidamente – afirmou ElBaradei.

O diretor da AIEA fazia referência aos “Estados nucleares militares virtuais” que têm o conhecimento e os meios de enriquecer urânio ou extrair plutônio em um discurso ante especialistas sobre o tema. O simpósio do qual participa estudará durante toda esta semana como melhorar os métodos de verificação da não-proliferação nuclear para garantir que os programas nucleares dos Estados sejam pacíficos e não tenham fins militares.

– Infelizmente o clima não é de segurança – afirmou ElBaradei em referência à tentação dos Estados de possuírem armas atômicas, os programas militares que estão sendo desenvolvidos pelo Iraque e a Líbia, e também as atividades clandestinas do Irã durante quase duas décadas.

Às cinco potências nucleares declaradas – Estados Unidos, Rússia, Grã-Bretanha, China e França – se somam outros três países que possuem a arma atômica: Israel, Índia e Paquistão. A Coréia do Norte anunciou no último dia 9 que realizou seu primeiro teste nuclear subterrâneo.