Traficantes usam carro importado para transportar ecstasy

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005 as 21:40, por: cdb

A polícia do Rio de Janeiro prendeu na quarta-feira três pessoas acusadas de tráfico de drogas, que esconderam haxixe e comprimidos de ecstasy dentro de veículos que foram importados para o Brasil.

O chefe da Polícia Civil do Rio, Álvaro Lins, relacionou a estratégia da quadrilha ao filme “Operação França”, vencedor do Oscar em 1972. No filme traficantes transportavam droga de Marselha, na França, para Nova York dentro de veículos.

– Às vezes a vida imita a arte. Foi um caso bem semelhante ao do filme. Essa estratégia de se trazer droga para o Brasil merece uma atenção especial das autoridades –  disse Lins.

Segundo ele, os três presos são de classe média e vão responder por tráfico internacional de drogas. Lins informou que a droga chegou ao Rio de Janeiro dentro de um Audi e um Passat alemães. Os automóveis chegaram ao Brasil após serem emplacados na França e foram importados em contêineres que saíram do porto de Barcelona, na Espanha.

– O ecstasy não tem cheiro e passa perfeitamente por uma aspirina ou outro medicamento. O haxixe também é difícil de ser identificado –  explicou o delegado Rodrigo Oliveira, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes.

A polícia encontrou 400 comprimidos de ecstasy e 30 gramas de haxixe nos veículos. Lins acredita que isso seja apenas uma parte da droga contrabandeada.

– Essa quantidade que encontramos está avaliada em 28 mil reais, mas só com impostos, frete e tarifas portuárias calculamos que tenham sido gastos mais de 25 mil reais. Então achamos que a quantidade seja maior do que a encontrada no veículo – disse Lins, explicando que parte da droga já pode ter sido vendida.