Trabalhos de investigação avançam no Congresso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de novembro de 2005 as 08:40, por: cdb

O Conselho de Ética da Câmara reuniu-se nesta terça-feira para apreciação e votação do parecer sobre o processo disciplinar contra o deputado Romeu Queiroz (PTB-MG). O relator é o deputado Josias Quintal (PMDB-RJ), que pede a cassação do parlamentar. O processo contra o deputado – aberto pelo conselho atendendo a uma representação encaminhada pelo Partido Liberal – foi lido em 26 de outubro. Romeu Queiroz é acusado de ter recebido R$ 350 mil das contas de Marcos Valério Fernandes de Souza. O empresário mineiro é apontado como um dos operadores do suposto esquema de compra de voto de parlamentares da base aliada.

No âmbito da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga a compra de votos, foi a vez do depoimento do deputado Ronivon Santiago (PP-AC). Esta é a quarta vez que o parlamentar é convocado. Nas três primeiras ele não compareceu. Ronivon vai prestar esclarecimentos sobre a denúncia de que teria recebido dinheiro para votar favoravelmente na emenda que permitiu a reeleição de presidente da República e governadores. A matéria foi aprovada em 1997, no primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso.

Já os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga as casas de bingo no país e a relação delas com a lavagem de dinheiro e o crime organizado tomaram mais dois depoimentos. Foram ouvidas Roseana Morais Garcia, viúva de Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT; e Ivone Santana, ex-namorada do prefeito assassinado de Santo André (SP), Celso Daniel. Toninho do PT era prefeito de Campinas (SP) e foi morto em setembro de 2001 quando saía de um shopping. E Celso Daniel, seqüestrado em 18 de janeiro de 2002, foi encontrado morto dois dias depois em uma estrada na região de Juquitiba (SP).

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga denúncias de corrupção na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) dedicou o dia a uma reunião administrativa, no Senado. Em pauta, a apreciação de requerimentos de convocação de depoentes, a discussão de assuntos internos e a análise de documentos.

À tarde, em reuniões simultâneas, duas sub-relatorias da CPMI tiveram audiência para a tomada de depoimentos. Na Sub-relatoria de Contratos foram ouvidos o ex-diretor-executivo da empresa Brazilian Express Transportes Aéreos Ltda (Beta) Roberto Kfouri e o sócio da Skymaster (empresa aérea de carga) Américo Proietti. As duas companhias prestavam serviços à ECT e são acusadas de superfaturamento, manipulação de contratos e partilha de serviços e lucros. Já a Sub-relatoria de Fontes Financeiras ouviu Marcelo Viana, empregado do doleiro Toninho da Barcelona; a doleira Nelma Cunha, da empresa Havaí Câmbio e Turismo; e o tesoureiro do PPS de São Paulo, Evaldo Rui Vicentini.