Trabalhar sentado aumenta risco de coágulo, diz estudo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de março de 2007 as 15:46, por: cdb

Trabalhadores que passam tempo demais em suas escrivaninhas podem estar colocando sua vida em risco pois podem desenvolver coágulos no sangue potencialmente fatais, sugeriu estudo do Instituto de Pesquisa Médica da Nova Zelândia.

Os pesquisadores descobriram que um terço dos pacientes que dão entrada em hospitais com trombose venosa profunda (TVP) são funcionários de escritórios que passam horas diante de um computador. O estudos será publicado no New Zealand Medical Journal.

TVP é a formação de um coágulo sangüíneo em uma veia profunda, mais freqüentemente nas pernas. Os coágulos podem chegar até o coração, pulmões ou cérebro, causando dores no peito, respiração difícil ou, possivelmente, morte de ataque cardíaco ou derrame.

O problema também é chamado de “síndrome da classe econômica” porque passageiros que passam muito tempo sentados em vôos de longa distância sem espaço para esticar as pernas são tidos como os mais expostos a desenvolvê-lo.

A equipe da Nova Zelândia examinou uma amostra de 62 pessoas hospitalizadas com coágulos no sangue, e constatou que 34% haviam ficado sentadas à escrivaninha durante longos períodos.
Em comparação, 21% tinham feito viagens aéreas para locais distantes. Mas os pesquisadores admitiram que um número maior de pessoas senta-se à mesa de trabalho por longos períodos, do que as que embarcam em vôos de longa distância.

O chefe da pesquisa, Richard Beasley, disse que alguns trabalhadores de escritórios que desenvolvem coágulos no sangue sentam-se à escrivaninha por até 14 horas por dia.

– Alguns deles ficam três ou quatro horas por vez sem levantar -, diz Beasley.
Beasley disse que o problema é mais comum na indústria de tecnologia da informação e em centrais de atendimento telefônico.

Cary Cooper, um especialista em psicologia organizacional e saúde da Universidade de Lancaster, na Grã-Bretanha, disse que não está surpreso com os resultados da pesquisa. Segundo ele, as pessoas estão trabalhando mais horas do que nunca, e não costumam fazer um intervalo para o almoço, preferindo, ao invés disso, comer um sanduíche sentados à escrivaninha enquanto respondem a e-mails.

“As pessoas que trabalham em escritórios na verdade não estão se levantando e andando em volta como costumavam. Nova tecnologia tornou mais fácil para eles fazer isso. Eu acho que isto está trazendo problemas físicos às pessoas porque elas não estão se exercitando, mas também problemas psicológicos porque não estão interagindo com seus colegas ou se enturmando com os colegas cara a cara-, disse.