Tony Blair, peixe-piloto de George W. Bush

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de outubro de 2001 as 16:05, por: cdb

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, e o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, discutiram nesta sexta-feira em detalhes a guerra contra o terrorismo. Blair é o braço diplomático de George W. Bush na conquista do apoio do Paquistão para a guerra contra o terrorismo.

Durante o encontro, em Islamabad, o Paquistão reiterou seu apoio à coalizão internacional para capturar o dissidente saudita Osama bin Laden.

Bin Laden é considerado pelos Estados Unidos o principal suspeito de ter planejado os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos.

Grã-Bretanha e Paquistão discutiram sobre o possível sucessor do regime do Talebã, milícia que controla cerca de 90% do Afeganistão – para o caso de o grupo se recusar a entregar Bin Laden e ser, por isso, deposto.

Sucessão

Blair e Musharraf concordaram que o possível sucessor do Talebã deve ser um sistema de bases pluralista e multiétnica.

Há negociações para que esse sistema seja liderado pelo ex-rei afegão, Zahir Shah, que atualmente vive na Itália.

A bordo de seu avião, Royal Force VC10, o primeiro-ministro disse a repórteres que o papel do Paquistão é fundamental neste momento. “Se o Talebã não tiver o apoio do Paquistão, terá enorme dificuldade.”

Apesar de ser o único país a reconhecer o Talebã, o Paquistão está apoiando cada vez mais a exigência feita pelos Estados Unidos pela entrega de bin Laden.

Na quinta-feira, após receber indícios do envolvimento do dissidente saudita com os atentados, o Paquistão declarou que os documentos eram suficientes para um indiciamento em tribunal.

Ajuda humanitária

A caminho do Paquistão, Blair falou sobre seu crescente otimismo a respeito do cerco diplomático e militar ao Afeganistão.

Ele disse que também existe a chance de o regime do Talebã acabar, mesmo sem ação militar.

Antes de chegar ao Paquistão, Blair esteve na Rússia, onde se encontrou com o presidente Vladimir Putin. Os dois discutiram a crise internacional causada pelos atentados nos Estados Unidos.

O ministro das Relações Exteriores indiano disse que Tony Blair deverá visitar a Índia após encontros no Paquistão.

Durante a sua visita a Islamabad, o primeiro-ministro anunciou mais ajuda humanitária para o Afeganistão.

Blair também citou uma série de medidas bilaterais, incluindo maior cooperação na área de Defesa e o apoio britânico a programas do Fundo Monetário Internacional.

O premiê britânico disse que os atentados de 11 de setembro não foram um “ataque contra o Ocidente, mas contra toda a humanidade”.