Thomaz Bastos vive sob forte esquema de segurança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de março de 2003 as 20:37, por: cdb

Ministro da Justiça, o criminalista Márcio Thomaz Bastos afirmou nesta segunda-feira que ele e sua família estão sob proteção policial, decidida após o assassinato, no final da semana passada, do juiz-corregedor dos presídios Antônio José Machado Dias, em Presidente Prudente.

– Nunca pensei que isso fosse acontecer na minha vida. Sempre vivi como advogado, andando livremente por São Paulo e pelo Brasil, mas agora eu e minha família toda estamos sob proteção da Polícia Federal – disse o ministro.

Segundo o ministro, o assassinato do juiz Antônio José Machado Dias será transformado em um sinal de luta, sem trégua, contra o crime organizado. Bastos afirmou que várias medidas de proteção aos magistrados já foram adotadas e outras estão em estudo.

Entre as medidas adotadas, citou a de não se publicar mais o nome do juiz responsável por determinada sentença de execução criminal. Thomaz Bastos participou em São Paulo de uma palestra sobre drogas, na Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Ele chegou à FMU sob forte esquema de segurança.

O ministro garantiu que o traficante Fernandinho Beira-Mar não ficará no presídio de Presidente Bernades (SP) mais do que os 30 dias combinados com o governador de São Paulo. Bastos disse ainda que o traficante não voltará para a penitenciária do Rio de Janeiro, de onde teria comandado a recente onda de violência no estado.

Bastos afirmou que Brasília trabalha com “várias opções” para a transferência de Beira-Mar, mas continuou sem revelar qual seria o mais provável destino do traficante.