Tensão e alívio em Frankfurt

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 5 de janeiro de 2003 as 23:22, por: cdb

Durante uma hora e meia, neste domingo, Frankfurt viveu a tensa expectativa de um incidente que lembrou – embora em escala bem menor – os atentados de 11 de setembro de 2001. Um homem roubou um monomotor e ameaçou jogá-lo contra a sede do Banco Central Europeu na cidade alemã e só pousou após conversar com o irmão de uma astronauta norte-americana morta em 1986.

Identificado pela emissora de televisão alemã NTV como Franz-Stefan Strammbach, o homem deu inúmeras voltas sobre o centro de Frankfurt enquanto as autoridades tentavam controlar a situação.

Caças f-16 escoltaram o monomotor, um Cessna, mas não chegaram a tentar uma interceptação.

Segundo a Polícia de Frankfurt, Strammbach exigia falar com Charles Resnik, irmão da astronauta Judith Resnik, que morreu na explosão do ônibus espacial Challenger.

As autoridades acrescentaram que Strammbach, que estaria sozinho no monomotor, conseguiu conversar com Resnik, utilizando o telefone do Cessna.

Resnik é o diretor-fundador e vice-presidente do Centro Challenger para Educação e Ciência Espacial, com sede em Alexandria, no estado norte-americano da Virgínia.

Usando um revólver, o homem roubou o avião às 15:52, hora local, em Babenhausen, a cerca de 50 quilômetros a sudeste de Frankfurt.

Logo após o incidente, as autoridades decidiram fechar o aeroporto de Frankfurt – um dos mais movimentados do mundo -, impedindo pousos e decolagens.

Primeiro, o homem disse que queria falar com a CNN, segundo a Polícia, mas depois mudou de idéia e pediu para fazer contato com a alemã NTV.

A CNN não chegou a falar com o piloto, que revelou não querer matar ninguém, mas cometer suicídio.

O correspondente da CNN Chris Burns descreveu como o avião fez vôos rasantes por entre os arranha-céus da cidade. Em um momento, o monomotor parecia seguir direto para um prédio, mas desviou no último momento.

Milhares de pessoas saíram às ruas para acompanhar o drama, levando a Polícia a apressar-se para esvaziar pontes, praças e outros locais públicos.

Por medida de precaução, diversos dos prédios mais altos de Frankfurt – a capital financeira da Alemanha – foram isolados, assim como ruas.