Telemar vai ter que explicar compra da OI ao Ministério Público

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 10 de junho de 2003 as 19:30, por: cdb

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) enviou ofício na última segunda-feira à Telemar pedindo esclarecimentos sobre a aquisição da operadora de telefonia celular Oi pela Telemar Norte Leste (TMAR) por R$ 1, em 28 de maio. A Oi era controlada pela Telemar Norte Leste Participações (TNL) e, com a operação, a TMAR passou a assumir dívida de R$ 4,7 bilhões da operadora de telefonia celular.

O ministério pede acesso ao relatório da Ernst & Young sobre a avaliação de patrimônio líquido da Oi, utilizado para estruturar a operação. Segundo o promotor Rodrigo Terra, o ministério atendeu pedido de um acionista minoritário, o engenheiro Marcos Duarte, que tem R$ 700 mil em ações da Telemar, juntamente com o seu sócio, o administrador de empresas Claudio Andrade. Duarte disse que sentiu-se prejudicado com a obrigatoriedade de assinar termo de confidencialidade, exigida pela Telemar para ter acesso ao documento.

A Telemar tem dez dias para atender ao ministério, a partir da data de recebimento do ofício. Até o final da tarde desta terça-feira, a operadora informou não ter recebido o documento. O promotor informou ainda que o ministério pode requisitar inquérito administrativo à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), se entender que existe indícios de prática de infração administrativa.

Caso a Telemar não cumpra determinação do ministério, o diretor de relações com investidores da Telemar, Marcos Grodetzky, pode ser responsabilizado criminalmente.