Técnico do Boca Juniors diz que os dois melhores chegaram à final

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 24 de junho de 2003 as 16:54, por: cdb

O técnico do Boca Juniors, Carlos Bianchi, afirmou nesta terça-feira que “está demonstrado” que sua equipe e a do Santos “são as melhores” da atual edição da Copa Libertadores, cuja final começarão a jogar nesta quarta-feira, na capital argentina.

– O Santos é um rival dificílimo. Sabemos que as equipes brasileiras jogam muito bem, que têm muito ritmo – disse o diretor técnico numa entrevista coletiva.

– Não é por menos que o Santos está invicto. Sete partidas ganhas e cinco empatadas. Isso demonstra claramente que a que chegou à final foi a melhor equipe, junto com Boca – afirmou.

Segundo Bianchi, o Boca Juniors “chega bem à final, como eles” e assegurou que não lhe interessa se a equipe brasileira o fez sem ter perdido um só jogo.

– Se chegam bem porque chegam invictos ou não, não posso saber. Para nós tanto faz que cheguem invictos ou não cheguem invictos. Toda final são dois jogos, cento oitenta minutos, e é uma nova história – sentenciou.

Ao ser consultado se pesará a experiência de vários de seus jogadores em finais deste tipo, Bianchi disse primeiro que não. Afirmou que não seriam tantos os “experientes” nestas circunstâncias e, em tom de brincadeira, enumerou:

– Guillermo (Barros Schelotto), Marcelo (Delgado), Clemente Rodríguez, (Hugo) Ibarra… Ah sim, são vários. Não achei que fossem tantos – disse.

O treinador argentino disse que os dois times jogarão partidas “muito abertas” e que as possibilidades estão “divididas em cinqüenta por cento para cada um”.

– Se há algo que os caracteriza, é que são duas equipes que quando jogam fora de casa tentam de impor seu jogo. Eu vi jogar o Santos de visitante e tenta impor seu jogo. E os senhores terão visto jogar o Boca de visitante e tenta impor seu jogo. Isso dá uma final bastante aberta onde as duas partidas serão interessantes – disse Bianchi aos jornalistas.