Tatuagem: de rebeldia a modismo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 10 de setembro de 2002 as 23:22, por: cdb

O que era motivo para ter medo dos pais, virou orgulho. O que já foi símbolo de rebeldia, agora serve para realçar corpos bem feitos. A tatuagem que era marca de marinheiros e presidiários, hoje enfeita patricinhas, modelos, advogados, médicos, punks, clubbers, hippies, artistas e até jornalistas.

Segundo a antropóloga, Silvia Helena Simões Borelli, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, o número de pessoas tatuadas está crescendo porque a sociedade mudou. A diversidade cultural aumentou muito e, com isso, as pessoas passaram a fazer coisas diferentes que por sua vez já não chamam tanto a atenção.

Diante desse movimento, os estúdios de tatuagem se transformaram de lugares escuros a salões claros e assépticos. Qualquer pessoa pode fazer uma tatuagem, que a princípio não passe mensagem nenhuma, simplesmente enfeite. Escolha e faça a sua.