Tarso Genro pede governo de ‘união nacional’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de novembro de 2006 as 21:10, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva discutiu nesta quarta-feira com o PMDB a participação do partido no Governo de coalizão, quando foi apresentada a agenda mínima de apoio, que tem a reforma política como principal objetivo. A coalizão envolveria a formação de um conselho político, composto pelos partidos que aderirem, para acompanhamento das ações do governo. O ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, explicou que a proposta é de um governo de “união nacional”.

– O governo de coalizão difere de um governo de União Nacional, que engloba todas as forças políticas do país. Na coalizão o que se pretende é a formação de uma maioria para governar, sem acordos de ordem regional -, disse em entrevista à imprensa.

Nesse sentido, segundo Tarso Genro argumentou com o presidente do PMDB, Michel Temer, os partidos que fizerem a composição com o governo, precisam aglutinar apoio de 80% a 90% de suas bancadas às proposições do Executivo. Temer, segundo Tarso Genro, concordou com a tese.

O ministro de Relações Institucionais informou que tão logo o partido faça suas consultas internas, seus técnicos poderão passar a trabalhar com o governo em torno das medidas que deverão ser implementadas na agenda mínima do governo de coalizão. A lista apresentada hoje ao PMDB inclui a reforma tributária, a instituição de metas de política econômica, monetária e fiscal comprometida com o crescimento mínimo de 5% ao ano nos próximos quatro anos, com manutenção da sobriedade fiscal; permanência dos mecanismos de controle da inflação; prioridade para investimentos em infra-estrutura, educação, saúde, ciência e tecnologia.

Outra meta é a consolidação das políticas de transferência de renda em andamento, políticas na área educacional, técnica e superior para abrir oportunidades de emprego ou atividade e reexame das dificuldades fiscais dos estados.