Talebã dispensa ajuda de voluntários e anuncia prisão de norte-americanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de outubro de 2001 as 19:49, por: cdb

O Talebã disse a milhares de paquistaneses dispostos a ajudar a milícia em sua “guerra santa” contra os Estados Unidos para ficarem no Paquistão porque sua ajuda “ainda” não é necessária.

“Nós pedimos isso porque, como há apenas ataques aéreos no Afeganistão, é desnecessário e perigoso tê-los aqui”, disse o embaixador do Talebã no Paquistão, Abdul Salam Zaeef. “Se precisarmos da ajuda deles, pediremos.”

Autoridades paquistanesas dizem que cerca de 9 mil homens se concentraram na fronteira do país com o Afeganistão no fim-de-semana.

A maioria deles vem da província paquistanesa de Fronteira Noroeste, que mantém fortes laços culturais e familiares com o Afeganistão.

Chamado

Os voluntários paquistaneses respondem a chamados de líderes islâmicos para uma união entre afegãos e paquistaneses no que chamam de uma guerra santa contra os Estados Unidos.

Guardas de fronteira têm tentado impedir a passagem do grupo para o Afeganistão, mas se supõe que alguns deles já tenham conseguido atravessar a extensa e pouco monitorada divisa.

Um repórter da agência Associated Press que conviveu com alguns desses homens disse que eles estão armados com rifles, metralhadoras, machados e espadas. Os autoridades paquistanesas, no entanto, estão preocupados com a possibilidade de que eventuais baixas entre os voluntários fomentem manifestações pró-Talebã no país.

O embaixador do Talebã no Paquistão também disse que a milícia prendeu americanos no Afeganistão, mas não especificou o número nem as circunstâncias em que teriam sido presos.