Taiwan passa a fazer parte da OMC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 1 de janeiro de 2002 as 19:28, por: cdb

A partir desta terça-feira, Taiwan passa a ser membro oficial da Organização Mundial do Comércion (OMC). A pequena ilha, que ocupa o 14º lugar no ranking mundial em volume de comércio externo, passa a ser o 144º integrante da OMC, o órgão responsável pelo estabelecimento das regras do comércio internacional. A admissão ocorre apenas algumas semanas após a entrada da China na organização.

Para ser aceita na OMC, Taiwan teve que alterar leis que regulamentam o comércio externo, reduzindo tarifas de importação de modo a permitir que empresas estrangeiras tenham maior acesso ao mercado interno. Segundo analistas, uma das conseqüências mais importantes e imediatas da entrada de Taiwan na OMC será provavelmente um aumento dos investimentos taiwaneses na China, com um crescimento do número de empresas de Taiwan que irão montar suas fábricas em território chinês.

Os membros do conselho de Taiwan (com poderes ministeriais) que administra as relações com a China, disse que o relaxamento das condições comerciais imposto pelos termos de admissão na OMC vai permitir que as empresas chinesas invistam no setor industrial e de serviços de Taiwan.

Apesar dos consumidores taiwaneses passarem a se beneficiar da redução de preços, alguns temem que a entrada das mercadorias importadas da China, fabricadas a um custo de mão-de-obra menor, prejudique as indústrias locais. O setor agrícola pode ser um dos mais prejudicados com a liberalização do comércio em Taiwan, pois terão que ser eliminadas as restrições que praticamente impedem a importação de produtos produzidos ao longo do Estreito de Taiwan.

Prevendo um aumento súbito nos preços no mercado de Taiwan, os consumidores vêm estocando alguns produtos agrícolas, como vinho feito de arroz – amplamente utilizado na culinária chinesa. Segundo se espera,uma garrafa de 600 ml irá passar de US$ 0,60 para US$ 3,45 depois da eliminação dos subsídios.

Para Taiwan a entrada na OMC traz a esperança de que a economia da ilha possa finalmente sair do isolamento diplomático em que se encontra em virtude da sua frágil relação com a China. Para o governo chinês Taiwan continua sendo uma província rebelde. Taiwan se desligou da República Popular da China logo após a chegada ao poder do Partido Comunista chinês, em 1949.

A China usa o poder econômico de seu gigantesco mercado interno de 1,3 bilhão de consumidores, para impedir que outros países mantenham relações diplomáticas com Taiwan. Já em Taiwan, a situação é vista de modo diferente. Enquanto os mais jovens vêem o país como a sua pátria, totalmente dissociada da China, a política oficial ainda apóia a reunificação, logicamente que em termos diferentes daqueles exigidos por Pequim.

Em 1992, um acordo firmado pelos países membros da OMC determinou que a China entraria primeiro para a organização, o que retardou em vários anos a admissão de Taiwan. E a reinvidicação da China, que reclama soberania sobre a ilha, faz com que Taiwan entre na OMC apenas como um território alfandegário separado e não como um país soberano e independente.