Suzanne von Richthofen é presa após entrevista

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de abril de 2006 as 21:25, por: cdb

Assassina confessa dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen , Suzane von Richthofen, de 22 anos, voltou a ser presa na noite desta segunda-feira. Ela se apresentou, voluntariamente, no início da noite na 89ºDP (Morumbi, Zona Oeste de São Paulo), segundo informe da Secretaria de Estado da Segurança Pública. A criminosa chegou à delegacia acompanhada do advogado Denivaldo Barni, vestindo uma bermuda jeans e coberta por um casaco azul de capuz. Por orientação de Barni, ela deve evitar os jornalistas a qualquer custo. O advogado a guiou do carro até a delegacia.

Os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos também confessaram envolvimento no crime, ocorrido em outubro de 2002. Suzane era namorada de Daniel. O julgamento dos três está marcado para o próximo dia 5 de junho. O novo mandado de prisão preventiva foi expedido pelo juiz substituto da 1ª Vara do Tribunal do Júri de São Paulo, Richard Francisco Chequini. Em sua decisão, ele afirmou que a liberdade de Suzane “coloca em risco a vida de testemunha do feito, no caso seu irmão Andreas von Richthofen”.

Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça (TJ), o pedido de prisão foi elaborado pelo promotor Roberto Tardelli e entregue nesta segunda. Suzane estava em liberdade provisória desde junho de 2005, beneficiada por uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Sua prisão foi decretada após menos de 24 horas da exibição de entrevista concedida por ela ao programa Fantástico, da TV Globo.

A entrevista ao Fantástico aconteceu em duas partes, no apartamento de Denivaldo Barni, com quem ela mora, no Morumbi (bairro de classe alta na Zona Oeste de São Paulo), e na casa de amigos de Suzane, em Itirapina (213 km a noroeste de São Paulo), onde o microfone da emissora captou as orientações do advogado dela, Mário Sérgio de Oliveira, e Barni. Ambos disseram a Suzane para chorar, interromper a entrevista e a dizer que não agüentava mais falar sobre o assunto. Foi o que aconteceu.

– Chora – disse Barni a Suzane.

Mas ela responde:

– Não vou conseguir.

A reportagem do programa contou que ela interrompeu a entrevista onze vezes para chorar, sem nenhuma lágrima.

– Ele (Daniel) me manipulava. Me dava muita, muita, muita droga. Dizia que se eu o amasse era para fazer isso ou aquilo – disse Suzane na casa de Barni.

No minuto seguinte, a reportagem exibiu as instruções do advogado Oliveira orientando Suzane a culpar Daniel Cravinhos.

– Diz que ele obrigava você a fazer.

Com as fotos dos pais e do irmão, Andreas von Richthofen, nas mãos, Suzane falou que sentia saudades deles.

– Eu queria voltar aos 15 anos, quando não conhecia ninguém daquela família – disse Suzane ao se referir aos Cravinhos.

O júri de Suzane e dos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos está marcado para 5 de junho.